Este blog vai ser redirecionado!

Blog redirecionado em 6 segundos!
http://confuciomoura.com.br
Aguarde.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Desincompatibilização

Um acontecimento para ficar marcado na eternidade. Assim resumo um pouco do que senti na tarde desta quarta-feira, quando me desincompatibilizei do cargo de prefeito, transmitindo-o para o vice, Marcio Raposo.

Foram mais de cinco anos de conquistas em todos os setores. Entre as vitórias, talvez a mais importante foi a de devolver a autoestima ao povo de Ariquemes e o orgulho por morar nesta cidade.
Registro aqui meus sinceros agradecimentos ao incondicional apoio da minha equipe de secretariado, servidores públicos, empresários, enfim, a população como um todo.

Obrigada Ariquemes pela confiança, por ter acreditado no meu trabalho, e foi a partir desta confiança que consegui tornar o município modelo no estado.

Obrigado a “companheirada” peemedebista, que em massa se fizeram presente neste grande evento. Mais uma vez demonstrando a união e a vontade de juntos alcançarmos a vitória nas disputas eleitorais de 2010.
     

NO PORTAL DA PREFEITURA - A MINHA ULTIMA MENSAGEM




Fiquei alguns dias sem postar nenhuma mensagem pra vocês no portal da Prefeitura. Justamente, porque não havia mais nenhum tema que pudesse expor. Escrevi um diário durante todo ano 2009 até hoje. Chamei-o de DIÁRIO DO PREFEITO. Depois vou escrever um livro a partir dele. Foram mais de trezentas exposições, na forma de audiências, visitas, relatórios de viagens e mensagens. E agora é madrugada, zero hora e quinze minutos. Há pouco sofri uma derrota no BBB10. Queria a Fernanda, ganhou o Dourado. No entanto, ela continua linda. E o que é que poderia dizer pra vocês nesta ultima mensagem porque daqui a pouco não serei mais o prefeito da cidade. Só serei o Confúcio. Ainda bem que continuarei a ser eu mesmo e a me pertencer. Porque o homem não pode deixar de se pertencer. De estar seguro de si mesmo. Ter seu próprio cabresto na mão. E um bridão no queixo. Vou me esforçar para continuar sendo. O de sempre. O que envelheceu rondando as ruas e alamedas desta cidade. Que o pegou o trejeito de Ariquemes, que fala guri e piá, que se sente muito bem vivendo aqui. A minha mensagem pra todos vocês funcionários, moradores, visitantes on line, a todos, eu gostaria mesmo era de beijar vocês. Um abraço bem apertado. E saio do cargo maravilhosamente satisfeito. Tem mais uma - tem mais duas - não fiz nenhum inimigo. Ao menos que eu saiba. Não quero citar nenhum nome, porque seria muito injusto, mas, além da cidade amo vocês. De qualquer que seja forma amo vocês. No meu pensamento – amo vocês. Em suas ausências – amo vocês. E para fechar a minha história – foi bom demais trabalhar com todos vocês, mesmo entre tapas e beijos, eu amo Ariquemes e cada um dos seus moradores.


terça-feira, 30 de março de 2010

MENSAGEM DO ARNALDO - BANCO DO POVO, O CAMPEÃO

Dr. Confúcio Moura,






È com muita alegria que o Banco do Povo lhe parabeniza pelos

prêmios de Prefeito Empreendedor 2009 nas categorias compras

governamentais com o PROVE e com melhor projeto estadual com o

BANCO DO POVO, que proporciona as classes menos favorecidas

emprego e renda como também sua casa própria através do

programa habitacional Meu Cantinho. Graças à sua ajuda e

determinação apoiando nossa instituição com sua visão

empreendedora melhoramos a qualidade de vida das famílias de

baixa renda, realizamos a inclusão social e econômica dos

pequenos negócios que antes eram rejeitados pelo sistema

financeiro e hoje podem contar com essa instituição para

apoiá-los com o crédito rápido e sem burocracia.

Desejamos que o senhor tenha muito sucesso em sua nova jornada

política rumo ao governo do estado de Rondônia e que em breve

possa levar os benefícios do Banco do Povo de Ariquemes a toda

população rondoniense.

Aproveitamos a oportunidade para lhe enviar dados estatísticos

referente ao Banco do Povo desde sua inauguração.





Atenciosamente,





José Arnaldo Campos Luna

Diretor Presidente

DISTRITO DE BOM FUTURO

Tem muito gente que mora em Ariquemes e não conhece o Garimpo de Bom Futuro. Nem o Distrito com o mesmo nome. Deve ter nove ruas e cerca de 1500 casas. Tem mais as Vilas do Chapadão, Cachorro Sentado e mais outras. Cada uma delas com 50 a 150 moradias. Tem asfalto em tres ruas, ainda incompleto o serviço. A Escola Angelo Spadari com 1300 alunos da região. Os alunos vem das vilas do Garimpo e de um raio de cerca de 40 km do entorno. A escola é grande. O Garimpo até ano passado foi muito violento, tinha até gangues. Acabou. A Guarda Comunitária implantou o programa "Escola da Paz", a PM chegou, pais e meninos estão fazendo o curso de PROERD - antidrogas. Como se sabe a droga é a maior causa da violência. Todos estão gostando muito do curso. O Centro de Saúde tem três leitos. A Prefeitura está buscando  um médico com perfil de comunidade para trabalhar em tempo integral e dedicação exclusiva. O salário será compensador. De agora em diante, o Distrito deverá cuidar de sim próprio, o Coordenador Vanderlei deverá fazer cadastro geral e implantar um distrito organizado. O Márcio foi comigo, que amanhã toma posse no cargo. Edson (Secretário de Educação) e Caieiro (Secretário de Saúde). Fiz o melhor de mim para melhorar a vida do nosso povo.

PRÊMIO SEBRAE PREFEITO EMPREENDEDOR 2010

Foi ontem a cerimônia, salão de eventos bem decorado, Casablanca, em Porto Velho. Foi chegando gente, as mesas se encheram, saladas, salgadinhos, sucos, refrigerantes, cerveja, vinho, até uisque. Foram 24 municípios inscritos, 12 foram selecionados, maioria de os pequenos.  Todo mundo recebeu diploma igual de Prefeito Empreendedor 2010. O diferencial foram os 5 (cinco) melhores projetos escolhidos por banca de refinados consultores do SEBRAE.  Aí todo mundo ficou se olhando. Aquela desconfiança, que por mais que se tenha maturidade, ainda assim mesmo, não tem jeito, a mão esfria e coração bate forte. Porto Velho foi selecionado com dois projetos. Urupá com 1 projeto. Ariquemes com dois projetos. Finalmente - o melhor projeto Estadual - ARIQUEMES, finalmente. Fiquei tonto de mim mesmo, meio besta, meio alegre, meio confuso. Por fim - a natureza dos projetos escolhidos da nossa cidade - o PROVE com um meio excepcional de compras governanmentais. O grande campeão - BANCO DO POVO E ARIQUEMES DIGITAL. A quem dedicar os prêmios - ao grande mestre Professor Isaias, Arnando e Adelino, Mary e todo os técnicos do Prove. Obrigado.

segunda-feira, 29 de março de 2010

ENDEMIAS

            
Fico doido de raiva com a situação atual. A dengue explodindo no Brasil inteiro. Até em Brasília. A velha e extinta SUCAM, de feliz memória, sabia cuidar de tudo isto muito bem. Tinham nos seus quadros sanitaristas experientes, entomologistas e um quadro de apoio extraordinário. Foi desmontada covardemente. A Fundação SESP também, um orgulho das regiões mais pobres – NORTE E NORDESTE também foi desmontada e extinta.  Nada veio para substituir estes órgãos de controle de endemias no Brasil. Pobres municípios entregues às moscas.  E aos mosquitos Aedes sp.  A dengue pode ser controlada e erradicada, como fez Oswaldo Cruz com a febre amarela há mais de 100 anos.  E agora, Brasil século XXI regredindo ao barbarismo das endemias que podem ser controladas. Já que o Governo Federal, de certa forma é um traste nesta área, que os Governos Estaduais cuidem de criar e apoiar os municípios no controle da dengue.  Precisa de gente treinada. Como os Agentes de Endemias da SUCAM, hoje, FUNASA.                O Brasil precisa é de SUCAM ou coisa que se equipare, para fazer um planejamento estratégico no controle das endemias. O pessoal da FUNASA com mais três anos não terá mais ninguém.  Aposentadoria está batendo nos seus corações. E a idade também. 

domingo, 28 de março de 2010

VENHA DANÇAR COMIGO


 Conversar com velho é um saco. Tem sempre este tal de "no meu tempo". Puxa vida será que não muda! Vou dar um toque nas festas que conheci ao longo da vida. Ainda me lembro de  quando só se dançava coladinho. Ali, no dois pra lá e dois pra cá. Quando a moça estava a fim, deixava os rostos colados, mãos apertadinhas nas costas, passos lentos, quase parando, geralmente assim, deste jeito, mais no meio do salão. Quando era só para brincar corria-se a passos largos pelos espaços dos salões, como um dono do mundo. Rodopiando, mãos coladas e braços esticados, como numa competição.



Depois veio o rock in holl, o samba repicado, o tuíste, é assim mesmo que escreve? nem sei mais. O regae. Os ritmos caribenhos. Hoje, tudo é diferente, a balada, sacudida, suada, olimpica, circense. O funk, o batidão, até o mesmo o hip hop dançante. 








Pra mim não dá. Sou da velha guarda, prefiro rostos colados, suorzinho frio descendo e estrelinhas de maus pensamentos carimbando o pensamento.

DE TODO JEITO ARIQUEMES GANHA E RONDONIA AGRADECE


Rodei e rodei. De Machadinho do Oeste, Buritis e Campo Novo. O povo ansioso, em cada lugar, para mudar de ciclo econômico. De um lado e do outro estão municipios extremos. Como se diz, fim de linha. No Machadinho chega-se nele e volta-se pelo mesmo caminho. Bem perto está o Amazonas. Bem perto está o Mato Grosso. Campo Novo é a mesma coisa. Ainda se rola morro acima e morro abaixo. E tudo se abraça  em reservas indigenas, extratisvistas e parques. Só um varador de fé para Nova Mamoré. Buritis não foge à regra. Então, tudo agora se deslumbra. Machadinho com o Hidrelétrica do Tabajara. Campo Novo e Buritis se enfrentam pelo sentido da estrada BR-080 ou de Ariquemes pra lá é a BR-421.  A 080 vem de Brasília, por Goiás, Mato Grosso, Machadinho, Ariquemes e segue em frente até Guajará-Mirim. As usinas do Madeira, as grandes pontes de concretos sobre imensos rios, a gasoduto de Urucu. A Ferrovia Transcontinental. A nevagabilidade nos dois sentidos do Rio Madeira. Ah! Rondônia que já é grandiosa, ainda será muito mais. O coração da América do Sul. Os seus braços em cruzeiro tocam os dois oceanos com as pontas dos dedos. Quem viver verá.

sábado, 27 de março de 2010

PMDB - GRANDE E FORTE


PMDB é forte e o maior partido do Brasil.  De tão grande chega a ter problemas em segurar a barra de tantos conflitos. Pode ter diversidade, deve ter, é bom. Mas, depois de diversidade deve prosperar a unidade. Como assim, diversidade na unidade? Coisa de filosofia. Como o PMDB é um partido do movimento, tudo pode acontecer, neste balanço de ondas. No entanto, vejo e sinto que o partido está com uma vontade imensa de ter um Governo seu, neste Estado de Rondônia. Eu sinto isto. O partido está mobilizado. Cheio de energia como a de um rio.  Quem diria que um rio pode produzir energia. Vocês estão vendo em Rondônia pipocar usinas hidrelétricas. O PMDB está assim também, com energias saindo pelos poros. Vou me entregar a vocês todos, como um instrumento do partido, para que vocês todos, partidários, possam se expressar através da minha pessoa. A base é partidária. Quero que desta base espalhe a energia vital para a futura campanha deste ano. Quero os ventos fortes também produzindo energia política. Energia vital para o sucesso na campanha. Não tem meia campanha. Só tem um jeito de ganhar uma eleição - mobilizar a base partidária, em primeiro lugar, para depois carregado, que nem uma bateria, soltar pela voz a energia necessária para sensiblilizar o povo e ao mesmo tempo convencê-lo. É isto meus amigos. A sorte está lançada. Boa sorte pra todos nós.

HIDRELÉTRICA DE TABAJARA - MACHADINHO


Produzir energia para crescer. Sem energia o Brasil não tem condições de desenvolvimento acima de zero por cento. Qual a forma ideal de se produzir energia? Claro, a melhor delas é a energia limpa, a que vem do sol ou que venha dos ventos (solar e eólica). Estas são bem mais caras. No entanto, são as mais recomendadas para preservação ambiental.  As termelétricas - vem da queima de lenha ou carvão ou ainda derivados do petróleo. Altamente poluentes. No entanto, são maioria no mundo inteiro. No Brasil  prevalece a energia que vem das águas correntes. As hidrelétricas.

Rio Machado, cinquenta e um quilômetros de Machadinho do Oeste, será construída a Usina Hidrelétrica de Tabajara. Serão 350 mW, duas vezes maior do que Samuel. Agora, é esperar o trabalho de licenciamento ambiental previsto na Constituição Federal.  Tem que ser observado o impacto da usina no meio ambiente. Tudo bem. Vamos aguardar.  No entanto, com certeza, feitas as adequações a usina será iniciada em tres anos, mais ou menos.  E com certeza, Machadinho do Oeste será beneficiada com as compensações sociais justas. Ajudará o município a crescer e fortacelecer a sua economia local.  E com isto, Rondônia ficará cada vez mais estratégica como um Estado importante na produção de energia elétrica para todo o Brasil.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Cuia do Livro


Desde 2007, o projeto "Cuia do Livro" Bibliotecas Domiciliares, proporciona à população de Ariquemes a opção de ler um bom livro sem precisar sair de casa e principalmente, não pagar por isso.
A Cuia do Livro é uma unidade móvel - espécie de carrinho  de mão - que comporta em seu interior dezenas de livros, agradando crianças, jovens e adultos. Cada carrinho fica até 30 dias em uma casa.
Para a implantação deste projeto, a Prefeitura contou com o apoio do Ministério da Cultura, Banco Brasil, comunidade e alunos da rede municipal.
O nome ‘Cuia do Livro’ foi influenciado pela cuia de chimarrão, bebida típica do Sul do Brasil, que é passada de mão em mão, inspirando união, troca de conhecimentos e o sentimento de amizade.

SEGURANÇA PÚBLICA COMUNITÁRIA


Ontem, pra mim, foi dia histórico. Um superdia. Noite adentro fui à primeira reunião numa casa de família no Setor 2. O motivo - criação na cidade do programa comunitário de segurança pública, em rede de vizinhança. Os vizinhos vão se envolver com a redução da violência na cidade. A partir do conhecimento de métodos eficientes, de forma tal, que um protege o outro. Pelo que sei é a primeira boa intenção do envolvimento de cidadãos com a sua própria segurança. E isto pra mim já é muito. Todo mundo ligado no outro. Todo mundo dando opinião sobre violência e paz. Sugerindo ações concretas ao poder público. Desde pontos escuros. Até praças onde concentram desocupados. As famílias sabendo a quem se dirigir de verdade, os telefones de apoio grudados na geladeira. Além do grito de alerta em caso de algum perigo. Estavam presentes membros do Batalhão policial e Débora Vidal (Secretária Municipal de Segurança e Trânsito) e vários Guardas Comunitários. Isto tudo pra mim é a coração do meu trabalho. Fico pleno de felicidade só de ver o começo de uma nova era.

FALTA DE COMPROMISSO


Tuberculose e hanseníane são doenças do atraso. E no Brasil continuam mais do que presentes. Mesmo quando o país se sobressai cada vez mais no cenário econômico. Ganha fôlego e boa imagem. É o único país da América do Sul a figurar entre aqueles que concentram 80% da tuberculose no mundo. É bom ser campeão. Na Fórmula I e no Futebol, mas, em tuberculose e hanseníase, de jeito nenhum.  Vejo, com imenso pesar, que a causa de todo este fracasso, está nas ações básica de saúde. Tem muito gente por aí, que sabe demais. tem até mestrado, pós e mais pós, que não adianta nada. Viaja pelo Brasil, consome dinheiro público, fica em hotéis de luxo, sabe falar de tudo e muito mais, mas, na hora H, esta gente desbrasileirada, não passa de papo furado. Não consegue implementar, nem gerir, nem acompanhar os pacientes. Tem, nas barbas deles, doentes que abandonam tratamentos, não vão atrás, não fazem busca ativa, puxa vida, pelo amor de Deus, além de vergonha, impatriotas como esta gente a que me refiro, necessitaria, por justiça, de cadeia mesmo. Porque são infratores sanitários. Criminosos disfarçados de sanitaristas. E olhe como tem gente deste jeito neste "Brasilzão" sem fronteiras.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Atenção! “Pare na Faixa”


A partir da iniciativa de proporcionar maior segurança no trânsito e melhores condições de tráfego nas principais vias urbanas do município, a Secretaria de Segurança e Trânsito, esta intensificando as ações de implantação do Programa “Pare na Faixa”.
O Programa consiste em conscientizar os motoristas sobre a importância de respeitar a passagem dos pedestres nas vias de grande movimento. As ações são executadas pelos agentes da Guarda Municipal Comunitária (GMC).
      A idéia é proporcionar maior conscientização dos motoristas em pararem seus veículos diante da faixa, permitindo que o pedestre atravesse a rua ou avenida com maior segurança. 

SABEM ONDE NASCI?



Não foi no oco do pau. Foi no oco do mundo. Nem sabe você o meu orgulho. De ter nascido no sertão. Num sertão mais do que sertanejo. Naquele tempo era Goiás. Goiás profundo. Sumido no esconderijo da civilização. Nem estrada havia. Carreadores. Carreadores vem de carro de boi. De vez em quando um caminhão Chevrolet ou GMC rompia o silêncio dos ermos gerais. Sei que vocês não sabem, aqui, o que seja "gerais". Só mesmo quem já leu João Guimarães Rosa - Grandes Sertões Vereadas, pode saber. Eu sei e não vou contar. Para fazer suspense. Nasci em Dianópolis. Hoje é Toncantins. Ele já foi de tudo. Perto da Bahia, encostado ao Maranhão, cheirando o Piauí. E hoje está desgarrado do Goiás. Parece Nordeste, não é. Parece Centro-Oeste não é. Agora, é Norte.



Então, sou nordestino, do planalto central, dentro do Norte do Brasil. Sou tudo. Quando saí de lá, de favor, foi na carroceria de um caminhão. E dou graças a Deus. Por lá, hoje em dia, tudo está diferente. Meu pai queria filho trabalhador. Logo com 14 anos me pôs num curtume, quando se curtia couro com casca de angico. Depois, reclamei muito do fedor, ele me tirou e pôs numa selaria. Aprendi com Mestre Exupério a fazer meia-sola. Fiquei um ano. Mais tarde fui para uma marcenaria com o Mestre José de Bento, aprendi a lixar e pregar ripa em telhado. Meu pai sonhava ver o seu filho mais velho (eu) sendo autoridade. Pra ele, seu sonho era que fosse Sargento da Polícia Militar. Fui pra Goiânia. Dei gosto a ele - fui Sargento da PM de Goiás por 10 anos. Aproveitei o tempo para me formar em medicina. Este é meu currículo. Tem inveja dele? Então volte para os meus cafundós do mundo. No meu sertão bravo e maravilhoso. Tenho saudade de tudo. Voltaria atrás se me fosse permitido.

SAÚDE E ASSISTÊNCIA TÉCNICA RURAL



Olhe gente, verdade. Verdade mesmo. Saúde pública ou privada, mais assitência técnica rural, são duas atividades íntimas entre pessoas. Tanto o trabalhador na saúde como o extensionista rural, por natureza de ofício, estabelecem vinculações próximas, até mesmo familiares, entre si. Facilmente estabelelcem amizades ou rejeições defintivas. É fácil a ligação entre os interesses. É fácil se atar as vidas umas as outras. É fácil e possível o pacto de confiança. E tudo termina ficando muito agradável. Muito dependente. Até mesmo imensa e impagável gratidão. Aí está o acordo feito. Criado. Para sempre. O que não se pode neglicenciar e nem abusar. Como profissional de saúde é ainda maior. Na assistência técnica a presença do profissional é recebida com intimidade. Vai até a panela e tira a tampa. Mete a concha e serve o prato. No entanto, tenho visto isto tudo com imensa tristeza. O uso político desta confiança histórica. Criada unicamente pelo ofício. Não se pode transformar hospitais e unidades de saúde em comitês eleitorais. Nem se permitir trocas de objetivos. Porque se o fizer tudo fica muito alterado na relação. E está aí, bem perto, o fim da confiança de anos a fio de trabalho. Como disse um bandido do passado, o Lúcio Flávio Vilar Lírio, bandido é bandido, polícia é polícia. Cada macaco no seu galho.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Roça Escola torna a educação municipal ainda mais atraente


A primeira escola beneficiada com o Projeto Roça Escola é a Padre Ângelo Spadari do Distrito de Bom Futuro. O projeto tem como objetivo tornar a escola ainda mais atraente aos olhos dos alunos, proporcionando a eles, outras atividades além das aulas teóricas ‘rotineiras’, como: o acesso à rádio escola, teatros, cursos de pintura em tecidos, intervalos artísticos entre uma aula e outra e reforço escolar.
As crianças que fazem parte da Jornada Ampliada do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), também serão incluídas no Projeto Roça Escola, evitando que as mesmas vão até a serra do garimpo para trabalhar, correndo sérios riscos e o que é pior, acabam deixando de estudar. 

POLO DE MÚSICA DE UAB (UFRGS)



Eliane Rudey está morrendo de alegria. O modelo do Pólo de Música da UAB (Universidade Aberta do Brasil) foi objeto de trabalho cientifico, da Professora Helena da Universidade Federal do Rio Grande do Sul com Eliane. Parabéns: Veja abaixo a euforia dela:


"O artigo científico, em anexo, foi escrito pela Drª Helena de Souza Nunes, Coordenadora Nacional do Prolicen Música.
É um relato de experiência, onde fala de como surgiu o Pólo de Música e da importancia das parcerias. E mais, sugere que seja usado como modelo para outras cidades que queiram trabalhar com a associação EDUCAÇÃO E CULTURA juntos.
A Drª Helena tem apresentado esse artigo em Congressos, Seminários e encontros nacionais e internacionais sobre Educação. Sempre Colocando o Pólo de Ariquemes como um modelo a ser seguido.
Apresentei esse artigo na II Conferência Nacional de Cultura, realçando a importancia do apoio recebido da Prefeitura para a implementação do Projeto. E todos os resultados positivos advindos dessa experiência.
Mais uma vez quero agradecer a confiança no meu trabalho e reitero meu compromisso de defender sempre a nossa parceria para o bem da cidade de Ariquemes. 

Eliane Rudey"

BIG BROTHER - (BBB)



Há tres dias liguei pra minha filha Débora em Brasília. Ela é especialista em BBB. Sabe tudo, inclusive, a tendência dos paredões. Aí eu perguntei pra ela: - quem vai sair na terça-feira? Ela respondeu - A Lia, aquela histérica, mulher horrososa, vive dando chilique. Falei - será? Pois bem, saiu tudo ao contrário. Saiu a Maroca. Que também tem lá os seus baracobaco - a mulher conversa mais que rádio a pilha. E tem uma voz de taquara rachada. Quem sabe a verdade mesmo é a democracia. O povo votou. Votou muito. Mais de 90 milhões de ligações telefônicas, creio que só estas, já daria para pagar o prêmio de 1,5 milhões de reais. Vocês já notaram, quando estou em casa, também assisto ao BBB.

A VACINA DA GRIPE SUINA


Muita gente me disse que não vai vacinar. Porque saiu na Internet que não se deve vacinar. Que a vacina poderá fazer mal à saúde.  Ora gente! O que é isto? Ainda bem que a vacina saiu rapidamente. A gripe é nova no mundo. E matou muita gente no México, onde surgiu. E no Brasil também. A vacina quando é liberada para uso humano resulta de pesquisas em animais. Depois em gente. Graças a Deus foi possivel produzir a vacina com o vírus. Porque infelizmente, ainda, não se produziu contra a AIDS e nem contra a malária. Muita informação leiga correndo o mundo, apavora o povo, prejudica o bom resultado contra esta doença grave. Eu mesmo, tomarei a vacina, sem a menor preocupação.

terça-feira, 23 de março de 2010

Agroindústrias geram empregos e renda para homem do campo


Trinta e quatro novas agroindústrias da Pequena Produção Agropecuária de Ariquemes (PROVE) estão prestes a iniciar suas atividades. Ao todo a Secretaria de Agricultura já conta com 59 agroindústrias cadastradas, destas, 40 estão em pleno funcionamento.
O PROVE tem como objetivo valorizar o pequeno produtor rural com o objetivo de agregar valor e renda ao produto do campo.
As agroindústrias são construídas, em sua maioria, em sedes das associações rurais. A Prefeitura incentiva com a doação dos equipamentos para a industrialização e dando suporte técnico aos agricultores.

A FIDELIDADE PARTIDÁRIA


Na minha primeira eleição para Deputado Federal, gravei apenas um programa de rádio e de TV. Só um.  Também, fui o único candidato do PMDB numa aliança com outros partidos.  Eu disse na gravação - "meus companheiros do PMDB de Rondônia. Sou o único candidato do partido. Não me deixem só. Onde estiver, no dia da eleição, não se esqueçam de mim". Fui por este lado. A emoção. Não disse mais nada. Fui eleito. Eu não esqueci dos meus amigos. Dos meus companheiros e fui atrás deles. Eles me ajudaram a ser Deputado Federal, orientando-me nas condutas, nas destinações das emendas e me dediquei ao maior drama do Estado, naquele momento, a falta de energia elétrica em vários municípios e quase nada de eletrificação rural. Consegui muito. Trabalhei pela UNIR mesmo não sendo professor e jamais ter ido aos compus para pedir voto ou nada em troca. Trabalhei por dever de ofício. Lutei muito pela educação a distância. FHC criou a Secretaria Nacional de Educação a Distância, hoje temos aqui a UAB - universidade aberta do Brasil. Fui eleito tres vezes seguidas à Câmara Federal. Eu não esqueço dos meus companheiros. E sempre entendi quem ajuda a eleger, ajuda também a governar.

UM NOVO TEMPO

Escuto sempre a expressão - "um novo tempo está chegando". Nada é mais impróprio de dizer, porque o tempo é sempre o mesmo. O que pode mudar é o comportamento do homem, as invenções que chegam, a comunicação fácil que chega a qualquer lugar. Estas coisas todas que vão mexendo com os mais jovens e que põem sempre em conflito os mais idosos. O tempo é sempre o mesmo. O homem é que vai se modificando de acordo com as suas necessidades. Desta forma vejo que Rondônia está passando por este novo tempo. Uma ponte entre o passado e o futuro. O passado todo mundo conhece e sabe como foi. O eldorado rondoniense. A fase da colonização e suas imensas dificuldades e desafios. O homem diante da Amazônia totalmente desconhecida. E que veio pra cá para domá-la como se doma um burro bravo. E a natureza amazônica é forte e traiçoeira. A doma é longa e dificil. Talvez não se consiga dominá-la inteira. Agora estamos no meio de uma ponte. A travessia da nossa própria história. De agora em diante teremos que nos mexer com conhecimento, modernização das práticas antigas, do uso de novas tecnologias para penetrar fundo nos segredos de se produzir mais preservando mais. Reflorestar pode ser uma nova onda. Onda positiva. Tudo de agora em diante é mais. Não se pode plantar lavoura sem correção de solo. Não é competitiva. Não dá para dobrar o rebanho bovino derrubando a floresta. Agora é plantar comida boa para o gado. De agora em diante Rondônia aceita pesquisar e assim deve proceder.

segunda-feira, 22 de março de 2010

SAÚDE PUBLICA DE QUALIDADE



Não basta ter no Estado de Rondônia a infraestrutura para o seu crescimento. Necessita de uma forte rede de serviços de excelente qualidade. Tanto no setor saúde, como também na educação de qualidade. Isto tem que acontecer. De uma maneira bem planejada e séria.  A começar no próximo governo e eu sei como fazer tudo isto.  Não dá para ficar dirigindo saúde para a sala vip do inferno. Com este festival de ambulâncias pela BR-364 numa peregrinação sem fim. Quem me disse isto foi Elizeu da Silva da Rádio Uniron de Porto Velho. Ele disse – O Pronto Socorro João Paulo II é a sala vip do inferno. Se ele fala deve ter razão.  Assim não dá.  Vou começar mudando tudo.  Construir várias unidades de urgência e emergência em Porto Velho, como as criadas, no modelo Ana Adelaide. Gostei.  O Estado será parceiro do município. Assim a população de Porto Velho será atendida nesta rede. O João Paulo II receberá uma reforma paliativa no curto prazo. E com três anos teremos uma nova Unidade de Urgência e Emergência de Qualidade. Nos municípios sede dos pólos regionais a mesma coisa. O Estado não deixará os municípios de Ariquemes, Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena no desamparo. Hospitais Regionais com estrutura para resolver todos os casos pactuados em cardiologia, neurologia, ortopedia, cirurgia geral e vascular, pediatria, obstetrícia e ginecologia.  E no mais será uma rede básica bem estruturada. É assim que vou fazer e sei fazer. E já fiz no passado e farei de novo. 

PARECE QUE DEPOIS DAS USINAS SERÁ O FIM DO MUNDO

Hoje em dia, parece que Rondônia virou só usinas. A de Santo Antônio e Jirau. Como se Rondônia não fosse Rondônia, que sempre viveu muito bem do jeito que a gente ia. É como se um meteoro caísse do universo por aqui. E todo mundo ficou meio besta, de repente. Dois ou tres anos atrás é que comecei a ouvir falar delas. As benditas usinas. Tudo bem. Bem-vindas. No entanto, nada contra elas, como disse bem-vindas, mas Rondônia deve tirar os olhos deste Estrela D'Alva, que brilha absoluta no céu. Tem muito mais coisas por aqui. A gente deve baixar a guarda de só falar em bilhões. Nós temos que falar em mil, dois mil, três mil reais. Quem tem, no Estado, como temos cerca de cem mil propriedades rurais e maioria delas familiares tem muito mais que usinas. Um potencial infinito de produção de comida, de um fruticultura tipicamente amazônica, gosto tropical, pisicultura a se perder de vistas, além de uma pecuária, se bem conduzida pode dar show de bola no Brasil inteiro. E o turismo que está ainda, infelizmente ou felizmente, ainda por ser introduzido e desenvolvido. As usinas ficarão prontas em poucos anos. Não podemos ficar com este foco exclusivo. Temos muito mais para pensar. E pensar longe. E criar cenários de desenvolvimento com o pé no chão. Rondônia é o mais mestiço dos Estados brasileiros, aqui tem a cara do nosso povo, um pouquinho de tudo, portanto esta é sua maior riqueza.

domingo, 21 de março de 2010

CRUCIFIXO EM PUTEIRO

Ficar perto do Tomaz Correia é sempre agradável. Além de descontraído. Logo vem ele com as suas tiradas anedóticas. Também pudera, nordestino nasce com o talento do bom humor.  Ele foi descortinando o seu rosário de lembranças alegres. Quando fui Secretário de Estado, diz ele, que Jerônimo andava meio zangado comigo. Porque eu mexia muito com o pessoal. E rodava o Estado construindo hospitais. Nem sempre ficava no fio da sua ligação. Um dia ele comentou com Tomaz, que era Prefeito de Porto Velho "O CONFÚCIO FICA NA SECRETARIA QUE NEM CRUCIFIXO EM PUTEIRO".  Veja bem uma coisa desta. Crucifixo em puteiro. No meio do inferno de pecado está lá, na parede, o crucifixo para perdoar todos os pecados do mundo, principalmente os da carne. E foi além, mais um comentário do Jerônimo Santana, referindo ao Amir Lando como Senador "O AMIR QUERIA SER NO SENADO PROFESSOR DE DEUS". Deixando de lado as brincadeiras, por falar em Amir Lando, francamente, se ele quiser está na hora certa de voltar à política - será eleito Deputado Federal e talvez tenha maioria dos votos da cidade de Porto Velho. Amir  é sempre Amir. Uma fonte inesgotável de capacidade e o Brasil não esquece dele jamais. Tem nome cravado na história política deste país.

SAÚDE E LIBERDADE


Tive na sexta-feira, dia 19 visitando Odaísa Fernandes. Odaísa foi Deputada Estadual, Federal e Vice-Governadora. Bem cedo, na casa dela, sentada na sala de visitas, o marido ao lado, receberam-me sentada, devido ao antebraço imobilizado por reumatismo. Ela me disse que a dor era intensa e pulsátil. E a conversa começou a partir da sua dor. SAÚDE E LIBERDADE, quem não tem os dois, não tem nada. A saúde, todo mundo sabe, um simples furúnculo, unha encravada, coceira incomodam demais e tira a pessoa do seu equilibrio. Nem falo das doenças graves e crônicas. Nem falo das doenças que não tem cura. Nem falo da privação da liberdade. Da cadeia. Do cúbiculo infecto e prolongado. Da triste paisagem imutável. De ser controlado no banho, na comida, no passeio ao sol rodeado de muros. A saúde e a liberdade são dois pilares essenciais  da felicidade. São bens extraordinários que devemos, todos, cultivar. E cabe aos governos oferecerem, ao menos, a assistência humanizada a todos. Ainda falta muito. Um caminho longo para humanizar a saúde e colocar, de verdade, como direito de todos.

sábado, 20 de março de 2010

FDA – FUNDO DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZONIA


Este fundo é uma beleza. Tem muito dinheiro com juro baixo. O diabo é a dificuldade de pagar a grana. A burocracia é grande demais. Sei que ele precisa de ajuste. Para financiar empreendimentos como reflorestamento. Eu fico triste porque a SUDAM (superintendência do desenvolvimento da Amazônia) fica tão longe. Em Belém do Pará. Bem que ela poderia ter uma representação em Rondônia, com poder de resolver e orientar. Até mesmo de capacitar o empresariado.  Seria ótimo.  O Banco da Amazônia é o agente financeiro, este dinheiro visa ao desenvolvimento da Amazônia, com esta nova política de promoção do crescimento da região sem desmatamento ou poluição dos rios e solos.  Este dinheiro vem do povo brasileiro, previsto no Orçamento Geral da União. É preciso que o Governo do Estado esteja atuante na política de crédito. A SUDAM foi criada no Governo Militar pra desenvolver a Amazônia. Ainda precisa dela – a SUDAM.  Que já fez muita besteira no passado. E que agora deve melhorar, ela veio com a mesma concepção da SUDENE, que teve um mestre da sua criação – que foi Celso Furtado. Todo mundo já leu Celso Furtado.     Se não leu deve ler. Isto aconteceu no Governo Juscelino Kubitschek. 

BESOURO DE CHIFRE

O BESOURO DE CHIFRE





Você conhece besouro de chifre? De vez em quando se vê um deles ou vários por aí. O bicho é feio, grande, tem um chifre único na testa. Mais parece um rinoceronte. Havia muitos deles no Bairro Tancredo Neves, Porto Velho naquele dia especial. Um comício bem preparado, para ser histórico, como se diz, o comício da vitória. Guedes me contou e jurou de pé junto que foi verdade. Estas coisas todas que acontecem na política. Lá pelos idos de 1985, pouco mais ou pouco menos, época de campanha política. Não compareceu ninguém. Nenhuma vivalma. Que decepção! No entanto, as pessoas ficavam de dentro de casa apreciando, de longe, o movimento. Resolveram todos discursarem mesmo sem público. Fala um, fala outro, chegou a vez de Amir Lando. Postes altos com luz fraca. Lusco-fusco, tempo fechado com poucas estrelas no céu. Chegou a vez de Amir Lando. Ele como sempre excelente orador, preparadíssimo, culto, palavra fácil, fluente, erudito. Falou da sua vida e origem. Viajou pelo mundo com poesia e fantasia, foi buscar inspirações na filosofia grega, entrou no Egito antigo e veio de volta à Rondônia. Gestos amplos, palavras bem articuladas, veemência tanta. Certo momento, como um raio, entrou pela boca dele um enorme besouro de chifre. E não ficou na entrada da boca, não, foi longe e fundo, goela. Ele ficou entalado. Sem movimentos, parou o gesto e a fala. Tentou cuspir e nada de besouro. Tudo muito rápido. Reflexo. Ele teve que mastigar o besouro. Aos pedaços foi cuspindo suas peças anatômicas nos candidatos que estavam abaixo do caminhão. Ainda teve inspiração e sangue frio para terminar o pronunciamento. Sendo aplaudido efusivamente pelos candidatos presentes.

USINAS DE SANTO ANTONIO E JIRAU - RIO MADEIRA



Quinta-feira, dia 18 tive em Santo Antônio e Jirau. Vi tudo de cima, por ar e por terra. O Ministro Edson Lobão, Minas e Energia, visitou as obras das usinas. Dia cinzento, chuvas aos pedaços. Vinha e depois passava rapidamente. Uma cidade nova foi construída, é Nova Mutum. Surgiu para abrigar os moradores das áreas que serão inundadas pela represa de Jirau. Muito bem, vi as obras das grandiosas hidrelétricas. O movimento de terra imenso. Milhares de máquinas cavando buracos. O terreno rochoso, granítico transformado em fagulhas, pó, britas. Montanhas de britas. Homens aos milhares rondando os canteiros de obras. Um verdadeiro labirinto. Como se fosse uma Torre de Babel. Há em tudo uma lógica milimetrada. Os movimentos obedecem a cronogramas rígidos. Leito do rio desviado temporariamente. Barracões imensos, refeitórios, serviços médicos, banheiros químicos regularmente distrbuídos nos espaços. Vários discursos, também medidos, curtos, objetivos. É um novo tempo para o Estado e tudo verdeja esperança. O Rio Madeira com uma nova cara. As cachoeiras servem a um nova causa. Fiquei impressionado com tudo aquilo. É grande demais para a minha estatura de 1,73 m.

quinta-feira, 18 de março de 2010

RONDÔNIA E A NOVA IMAGEM


Vamos acabar com esta onda de esculhambação. De agora em diante e é o que irei fazer – na hora certa, é a criação de um novo marketing do Estado. Para mostrar ao povo brasileiro e ao mundo também o que é Rondônia de verdade. Porque Rondônia cresce no ritmo quase chinês. Vender a todos a boa e verdadeira imagem do seu povo. E por isso merecerá uma nova atitude política, posso dizer – a nova política. Uma política que promova o Estado, que mostre a sua riqueza, a vocação, a potencialidade. Que é um Estado estratégico da federação. Grande produtor de energia elétrica. Que não é brincadeira ser Rondonia. Ela é séria demais para ser banalizada com escândalos. Que seu povo é mestiço melhorado. Uma nova raça de gente boa. Que a política seja um instrumento para se realizar o principio republicano. Um verdadeiro instrumento do bem estar e da felicidade. Mesmo que não seja no sentido máximo, mas, que se deve perseguir. E tudo na vida a gente consegue, passo a passo, com metas claras e objetivos bem definidos. Este ano é ano de eleição. E também de copa do mundo. De um lado a alegria, que mexe com o nosso emocional, que o jogo de bola, mas, que a política também é um jogo, que pode ser bendito ou maldito. Limpa ou suja. E tudo está nas mãos do povo. E que aprendam esta lição – política não é escola para corrigir malandro. Quem é safado, se eleito será ainda muito mais.

REMÉDIO PARA TODOS

Remédio não é para se abusar deles. Mas, tem muita gente que usa medicamento por toda a vida. Os doentes crônicos - diabéticos, hipertensos, epilépticos, doentes psiquiátricos, reumáticos e por aí vai. E muita gente que não pode comprar o remédio. Estes pacientes podem ser cadastrados em cada municipio, um a um e depois a secretaria de saúde tem que ser esperta. Puxa vida! Como vejo que as pessoas tem um preguiça desgraçada de pensar. Pensar um pouquinho diferente.  Dá para mandar estes medicamentos até mesmo pelo Correio para os cadastrados. Ou se mandar entregar com um boy de bicicleta. Dá para manter o pessoal informado, até mesmo com um torpedo no celular. Todo mundo, hoje em dia tem celular. As redes sociais de comunicações estão aí meus irmãoszinhos de Deus. Use-a. Dá para comprar bem programado os medicamentos básicos de um municipio e atender a todos, comprando inclusive dos laboratórios oficiais de saúde pública. A compra deve ser feita com antencedencia para que os laboratórios tenham condições de programarem as entregas. A política de medicmentos tem e deve ser levada a sério. Que tal um plano municipal e outro estadual de medicamentos? É muito sério o caso. Dá para avançar muito. Vamos fazer isto?

PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA - PSF

Este é um programa maravilhoso. Mais do que socializante. Chega bem perto do modelo cubano de saúde coletiva. O PSF  não pode virar brinquedo de faz de conta.  De se ajeitar equipes na forma do possível. E ir tocando a coisa assim meio na marra, para não falar aquilo que gostaria de dizer: - assim meio nas c...as. Sabe como é que é, não dá para se escrever chulamente. Mas, que dá vontade, isto dá. Na verdade a batata quente fica com o municipio. Até que o Ministério da Saúde é legal para se criar bons programas, não tem dúvida que o MS é bom criador. Só tem um basal - o dinheirinho que eles mandam só dá para enganar o municipio, passar um melzinho na boca da prefeiteiada brasileira.  O dinheiro do PSF de verdade, para se compor uma equipe saúde da família, dá mais ou menos para pagar tres meses de salário. O resto fica por conta do fundo de participação do município. Enquanto o Estado federado não tá nem aí. Deixando de lá o miserê, o PSF  é um doce de coco. Muito bom. Com ele implantado, no ideal de tudo, com três mãos, o MS pagando os benditos três meses, o Estado pagando por cada equipe também três meses, aí sim, o municipio assume o resto. Dá para se funcionar muito bem. Ele é barato, dá para colocar o dentista na equipe, dá para o pessoal cair no campo. O PSF é para andar na rua mesmo. Fazer reunião com o povo do seu distrito sanitário. Ir à casa do idoso acamado. Até fazer curativo em casa.  Bater papo com as moças e rapazes. Pegar na ferramenta para ajudar e ensinar o morador a fazer horta. É medicina social de verdade. E dá certo. E melhora a saúde do povo com educação em saúde. Saúde básica é a solução até mesmo para se evitar a dengue.

quarta-feira, 17 de março de 2010

TRANSPORTE ESCOLAR

A coisa é séria. Ontem mesmo vi na TV crise no transporte de crianças numa cidade do Espírito Santo. Não é só por lá que tem ônibus cheios. Crianças em pé. Ônibus caindo aos pedaços. Sempre fiz, eu mesmo, inspeções nos ônibus, nos fins das linhas rurais, pegar, de repente, o ônibus no serviço. Aí a gente vê a verdade. Em Ariquemes o transporte é misto. Metade feita pela Prefeitura e metade contratada da iniciativa privada. Não me perguntem se o serviço público é melhor ou pior que o privado. Falo na lata - aqui, o público é  bem melhor. O jogo continua o mesmo em todo lugar, dinheiro pouco, mas, vou recomendar o pessoal daqui para poupar dinheiro para comprar ônibus novos para o transporte, principalmente para as estradas de chão batido, chassis mais altos para os lamaçais dos tempos de chuvas torrenciais. O transporte de crianças, em ônibus é de uma responsabilidade imensa. Tudo deve ser feito preventivamente, cinto de segurança, todas as crianças sentadas e bem acomodadas, um fiscal para cada ônibus para acomodar bem as crianças, principalmente as menores. A luta anual é igual e não muda, o município assumindo cada vez mais responsabilidade do Estado, que está longe do lugar e joga algumas migalhas aos municípios, que esfomeados não tem como rejeitar. Aceitam e assumem competências que não são suas. O transporte escolar é um avanço significativo para alunos para que tenham acesso universal à educação.

terça-feira, 16 de março de 2010

PORTO VELHO MULTIMODAL



Brasileiro tem mania de duvidar. Duvida de tudo. Depois fica abismado quando as coisas viram realidade. Escreva aí na sua caderneta – Porto Velho será uma belíssima cidade estratégica para o comércio exterior.  Uma das mais importantes do Brasil. Então, preste atenção seu cabeça de bagre:  – o aeroporto é internacional, tem a BR 364 e outras que ainda virão,  a ferrovia transcontinental que já está no PAC (programa de aceleração do crescimento), a Hidrovia do Madeira, os portos serão melhorados e um novo porto será construído em breve pelo Grupo Maggi.  Virão em decorrência as empresas de todo Brasil, até mesmo do exterior, para se instalarem no Estado. Por que as empresas virão? Por simples razões –  infraestrutura garantida com energia farta, transporte multimodal, telecomunicações com extensa rede de fibra ótica, saídas para o Atlântico e para Pacífico. Rondônia coração da América do Sul, Estado ambientalmente equilibrado, tudo certificado, com origem limpa e com uma empresa inovadora que será ainda instalada pelo Estado ou pela iniciativa privada – Amazon Carbon Free.

MAQUIAVÉLICO E HOBBESIANO


Fico meditando comigo mesmo e ao mesmo tempo me autoflagelando pela burrice, sei lá em que nível estou. No entanto quando leio MAQUIAVEL OU THOMAS HOBBES, além de muitos outros, aí eu me acabo de vez. Gente como eles que viveram   nos primórdios do Brasil descoberto, com tanta sabedoria, intuição, senso de observação, se filósofos, simples pensadores, cientistas políticos, sociólogos, na verdade podem ser tudo isto e muito mais. Um como o outro falam da necessidade de um poder humano forte. E que somente com este poder instituído pode-se viver em paz. E que o homem deve lutar pelo poder e ainda mais para mantê-lo.  E que a natureza humana é perversa. O homem em estado bruto e natural está em permanente estado de guerra. O conflito reinante. Maquiavel marca a história com a narrativa da forma de governar - boa e segura - a república (a que promove o bem estar de todos) e que o principe deve ser mais temido do que amado. Mais de quatrocentos anos se passaram depois de suas idéias e até hoje são debatidos nas escolas pela lucidez dos seus pontos de vistas, um e outro podem ser igualmente seguidos. Além do mais suas teses são maiores do que os séculos, passam e perpassam as idades cronológicas e sempre estarão vivos e contemporâneos.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Agricultura Familiar


Atendendo convite do meu colega Prefeito José Ribeiro, estive no último sábado em Presidente Médici, apresentando a pequenos agricultores daquela região a experiência do município de Ariquemes na área de agroindústrias. Atividade que  tem despertado o interesse de outras cidades de Rondônia
Acompanhado do chefe de Inspeção de Ariquemes, o veterinário Henrique, foi apresentado um resumo de ações desenvolvidas durante a minha gestão, e que mudaram a vida de muitos produtores, gerando um clima de otimismo no setor produtivo. Além de uma novidade especial que é a compra da merenda escolar da agricultura familiar, das agroindústrias, da piscicultura, e dos pequenos empresários do entorno das escolas.
O prefeito de Médici se entusiasmou com o programa e se comprometeu, na ocasião, em implementar proposta semelhante em seu município. 

domingo, 14 de março de 2010

PESQUISA CIENTÍFICA

Pobre Estado perdido na escuridão, pobre daquele que não tiver nas mãos a ciência como orientadora do seu crescimento. Pobre Estado que nao tiver pesquisa para orientar o seu futuro, com planejamento e ordem.  Sem pesquisa tudo será feito no improviso, no achismo de sempre, na pura e simples intuição de um ou de outro iluminado.  Tenho recebido pesquisadores de Rondônia, aturdidos com a falta de um organismo estadual devotado à pesquisa científica. Quem pesquisa economiza. Quem pesquisa promove o Estado. Quem pesquisa tem argumento técnico para se justificar. Tenho recebido alguns professores e doutores do Estado que me solicitaram falar do assunto, assim como assumir compromissos claros com a criação de uma fundação estadual de pesquisa, que poderá se chamar de FUNPERO ou outra sigla equivalente, que seja enxuta e que vá, aos poucos, crescendo, subindo degraus, aprendendo, sem no entanto, se transformar em cabide de emprego ou penduricalho sem nenhum proveito.  Daí a minha proposta clara de assim me comprometer com esta causa porque mesmo sem eles, creio na pesquisa, creio na EMBRAPA e  no INPA (Instituto de Pesquisa da Amazônia) como poderosos instrumentos de transformação. O que seria do agronegócio brasileiro sem a EMBRAPA?  Há se todos as instituições brasileiras públicas fossem como a ela. Rondônia é rica e poderosa e será ainda maior com ao lado da pesquisa cientifica.

POLICIAMENTO COMUNITÁRIO


Há um onda de violência no Brasil. Basta ver o Jornal Nacional. Mete medo de tanta notícia ruim. E o povo fica com medo. Um medo que faz o povo ficar doente. Pela insegurança. Tem gente que vai parar no hospital, pânico, pavor, horror de casa invadida. Furto de coisa de valor.  Medo de morrer agoniando nas mãos de bandidos perversos. Do outro lado fica o Governo, de todo tamanho, federal, estadual e municipal, sem saber por onde começar. Segurança é política pública. Dever do Estado e da sociedade. Então, vamos juntar as vontades, os medos, as fraquezas, por na rua, a segurança, a polícia andando a pé, no quarteirão, passo a passo. A polícia da comundiade, o santo protetor, que a gente espera na hora do apuro. É tão bom a gente ter a quem se socorrer.  Polícia Comunitária, hoje em dia, mais do que provada que á necessária, ali perto da moradia, gente de confiança, que tem nome, que conversa no porta da casa, que brinca com os meninos, que apita jogo de bola, que pega na foice pra roçar o mato, que sobe no poste pra trocar a lâmpada. Que ajuda a podar a árvore que esconde a visão da rua. No Rio de Janeiro tem favela pacificada. É a polícia pacificadora. Tem hora que se precisa  dos grupos  de elites, dos brutamontes de músculos e armas.Tem hora certa pra eles. Mas, na base do dia, da vida, da vivência mesmo, a gente precisa é de polícia ao alcance de um grito.

ESTA CIDADE NÃO VAI PRA FRENTE


Vi e ouvi gente falar - reclamar, tem gente assim, que gosta de reclamar. Sei lá! Sei lá se tem razão. Nem todo mundo foi, mas, quando falou os outros se calaram. Talvez pelo lado do refrão - quem cala consente. Alvorada do Oeste e Presidiente Médici, ouvi estas coisas por lá.  Todo mundo sabe que cidade tem vida. A vida da cidade é o povo. A vida da cidade é o movimento. Movimento a gente pode fazer, como se faz com um carro, quando acaba a gosolina o carro para. É só por combustível que ele anda. Ninguém pode desmerecer o que tem.  Os dois municipios foram criados em cima da reforma agrária. Cada um tem mais de duas mil propriedades rurais. Sabe o que é isto? Mais de dois mil sítios, chácaras, fazendas. É muito. Está aí a gasolina, é só riscar o fósforo que a cidade se acende. E crescer e se movimentar. A cidade escuta o líder.


Tem sempre um líder em cada cidade. Pode ter vários. A cidade é como gente, cada um nasce com uma vocação, um talento escondido. Dificil é descobrir o talento e depois por talento pra fora. Tem cidade que faz sapato, outra faz roupa de vestir, outro faz rede de dormir, aquela outra artesanato, os bonecos de Caruaru, tem cidade do turimso, acorde aí Caldas Novas, Rio de Janeiro, tem cidade dos bonés, do automóvel, da soja, do milho, do arroz, da movelaria. da agroindústria, das feiras, dos eventos, do jerico, cidade dos serviços, cidade da saúde, escute aí Mineiros em Goiás. Tem cidade do Nelore, do cidade do café do leite. Tem de tudo isto. Cada cidade tem o seu movimento. Basta pegar a velocidade. E descobrir a sua vocação. É isto minha gente. Vamos levantar o farol e sermos caçadores de talentos de nossas cidades. Ouvir o seu próprio grito. E pronto.



JOSÉ "MIGUEL" CASSARO


Miguel é o nome mais conhecido. Se chamar José Miguel ninguém sabe quem é. E muito pior se disser José Cassaro. Aí danou-se tudo. Nome estrangeiro, ninguém imagina quem pode ser. Ali, em Terra Boa, Miguel se debate com o ideal. Não ganha nada à frente da Cooperativa de café.  São 164 cooperados. Cada família vive em menos de 10 alqueires. Ele esturra feito onça pra não fechar as portas da cooperativa. Não quer. Tem hora que dá vontade. Ninguém ajuda. Ninguém informa. Ninguém chega perto. Na base do "eu acho" já viu que não dá em nada. O preço do café despenca. Dá vontade de meter fogo e por pasto. Ele luta por escola de segundo grau, para os meninos ficarem por perto. Briga por incentivos ao cooperativismo e ninguém escuta. O chapéu à cabeça, a pele branca, o olhar no infinito, a fala pausada, serena. Meio descrente de tudo, assim vai levando, não sabe aonde chegar, e vai e assim mesmo, levando a vida, na cooperativa. Querendo garantir preço, garantir adubo, garantir melhoria, não sabe como, não sabe a quem clamar aos céus. Terra Boa fica perto de Alvorada do Oeste, depois dela, entremeio São Miguel do Oeste. O plano é este:  plantar café, garantir a safra, ganhar dinheiro e ficar por ali mesmo, no sítio. Vai Miguel, em frente, sonhador da 429, vai Moisés da vida, puxando o povo pra terra prometida. Vai São Miguel Cassaro, carregando a cruz das almas do cooperativismo, quando ninguém de lado nenhum escuta o seu grito de guerra, mundo afora, querendo mover a montanha de tanta insensibilidade. Vai  Miguel tangendo o seu  ideal até o fim de suas energias. O cooperatismo no mundo entendido e alto é a peça que move o crescimento das pessoas. Por aqui, é o abandono absoluto desta base tão sólida.

sexta-feira, 12 de março de 2010

FAZER DE TUDO UM POUCO


José Feliciano foi Governador de Goiás na década de 50. Tem dele a frase - "campanha tem que ter foguete e comício".  Ildo Meneghetti também foi Governador do Rio Grande do Sul tinha também a sua frase de efeito: "quem ganha a eleição é quem mais pega na mão do povo". Agora, o pegar a mão do povo, modernamente, será o contato pelas redes sociais. Um boca a boca diferente pelo orkut, twitter, blogs e estas coisas todos de informática.  Obama deu a virada. E todo mundo agora fará a mesma coisa. De tal forma que o eleitor ficará novamente saturado com tanta provocação eletrônica.  Sei que o melhor de tudo, o que pode acontecer de verdade é mais óbvio das obviedades - o poder do contexto, o ambiente externo, o anseio inconsciente da população, na hora certa, tudo isto vira, num mecanismo extraordinário. E o que era  latente passa a ser evidente.  O que era dúvida passsa a ser certeza. Um verdadeiro efeito mananada.Governo é como comida, tem que variar para não enjoar. E quando o governante chega ao ponto de saturação, nada o seguro no posto, o povo procura a novidade. Governo também chega a exaustão. Cada candidato deve se contentar com o que faz, porque é o que cada um pode fazer de máximo, sentimento íntimo não conta e sim o vento a favor, o sentido da correnteza e nada mais. É o que espero que aconteça comigo. Que a minha resultante seja positiva.

quinta-feira, 11 de março de 2010

O CARBONO DA AMAZÔNIA


Não ria de mim.  Se você sorri da minha cara vou ficar zangado. Este negócio de energia limpa. De desenvolvimento sustentável, parece para nós – os destemidos pioneiros, um palavrão horroroso.  Tem razão. Na década de setenta o discurso era outro. A prioridade do Governo era outra.  Não se falava em aquecimento global.  Por aqui a ordem era derrubar a floresta e meter fogo. Era assim e pronto. O tempo mudou rápido demais. E a gente está vendo os bravos fenômenos naturais pelo mundo, ondas gigantes, terremotos, ventanias, chuvaréu, deslizamento de encostas, enchentes. O mundo está mais quente. Pois é – está aí pra todo mundo ver. Ainda bem que Rondônia tem rios limpos e florestas em pé. Muitas reservas florestais. Maravilha. Dá para se fazer um belo acordo.  Vender soluções para o mundo, mas, vender mesmo e logo. Sair do discurso ecologicamente correto, que é correto, para que fique assim, mais correto, no entanto – com compensação financeira. Quem tira leite pode reflorestar a metade do lote, quem vai pagar a conta? Quem vai completar a renda do leite? De onde virá o dinheiro para reflorestar? É isto aí. O dinheiro virá da venda da sua capacidade de seqüestrar o gás carbônico das chaminés européias, chinesas, indianas e americanas, enfim, dos poluidores do mundo. Dá para fazer um bom negócio. Será meta de governo.

quarta-feira, 10 de março de 2010

MOBILIZAÇÃO DOS PREFEITOS

No auditório Nereu Ramos não coube Prefeitos do Brasil. Mesa composto com todos os presidentes de associações de prefeitos nos Estados. Paulo Zilkoski é o presidente nacional. Grande homem. Inteligente. Discurso forte. Muncipalista ao extremo. Tem os números na cabeça, os números do prejuízo que as prefeituras tem. Ele foi duro. Falou "parem de aceitar programas federais, é engodo, uma sacanagem do Governo Federal, cria programas para os municipios custearem com pessoal e despesas gerais". É uma irresponsabilidade imensa. Tem prefeito por aí, acabando com modelos de saúde do Governo Federal. E tem mais uma - estão fazendo tudo igual. Ou melhor. Sem esganar os cofres da prefeitura.  Quem sabe o que tem que ser feito no municipio é prefeito e vereadores. E não Ministro ou Presidente da República. E o Governo Federal não cria vergonha de criar a malditas contribuições, do petroleo, CIDE e outras mais. Com a farsa das contribuições, o Governo Federal não repassa o que é constitucional aos estados e municipios. Cara de pau. Que federalismo é este? E na saúde, municipio contribui com 15% de suas receitas, Estados teoricamente com 12%, nem todos repassam nem 5% e o Governo Federal não tem ainda estabelecido nenhuma vinculação. Puxa! como fazer saúde deste jeito?

POSSE DA EXECUTIVA NACIONAL DO PMDB


Tive hoje às 11,30 h na sede do PMDB Nacional, Câmara dos Deputados, na posse da nova Diretoria Executiva do Partido. Presentes Senadores Sarney, Renan Calheiros, Salgado, Valdir Raupp. Vários Deputados Federais. Michel fez o seu discurso pausado e milimetrado, falando da grandeza do nosso partido, da unidade e que nunca foi tanto assim, como agora. Falou da minha pré-candidatura ao Governo de Rondônia, fiquei feliz por ter sido lembrado por ele. Pra mim, foi um momento maravilhoso porque me encontrei com muitos amigos, como Wagner Rossi que está na Conab, Moreira Franco que está no controle do FGTS, Rozão que fazia muito tempo que não o encontrava, Darciso Perondi do Rio Grande do Sul, ex-Senador Carlos Bezerra do Mato Grosso.  Abracei a Deputado Rose de Freitas do Espirito Santo. Senti-me em casa. Entre amigos. Raupp agora é o homem forte do partido em nível nacional, é o vice, está com atribuição importante de negociar e viabilizar todas as campanhas do Norte e do Nordeste. Puxa! é muito pra ele.

terça-feira, 9 de março de 2010

REFLORESTAMENTO


Eu serei vendedor de oxigênio. Quanto vocês me dão por tonelada de oxigênio e seqüestro de carbono. O mundo europeu polui. China e Estados Unidos poluem. Canadá polui. Tudo por aqui será na base da troca. Eu faço reflorestamento e ainda em troca dou florestas naturais em pé em troca de dinheiro alto.  Eu serei conhecido no mundo como o maior seqüestrador do planeta. Vou seqüestrar dióxido de carbono, vou deixar o dióxido de carbono dentro das árvores. As árvores rondonienses vão transformar dióxido de carbono em madeira lenhosa. A luz do sol eu tenho. A água tenho também. E o meu laboratório será a própria floresta. Quero vender solução, para fazer a faxina no mundo, mas, não é de graça. Tudo por dinheiro. Com diz o Silvio Santos – quem quer dinheiro? Eu quero. Dinheiro para fazer a compensação florestal, trocar pasto degradado por floresta plantada e ganhar muito dinheiro. Quem viver verá. Compre ações da Rondon Carbon.