Este blog vai ser redirecionado!

Blog redirecionado em 6 segundos!
http://confuciomoura.com.br
Aguarde.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

REDUÇAO DO ANALFABETISMO




Desde o primeiro dia do meu mandato que tenho trabalhado pela redução do analfabetismo no município de Ariquemes. Trouxe técnica em alfabetização, Doutora Leila, de Olinda - Pernambuco, para a primeria etapa do projeto. Ela trouxe a sua experiência e daí pra frente começamos o trabalho. A estatística diz que tinhamos cerca de 4000 analfabetos por aqui. É muito. Vergonhoso.Não dá. Buscamos apoio de todos os lados -SESC, SENAR,GOERNO DO ESTADO, MUNICIPIO, IGREJAS, EMPRESAS.  Começamos pela prefeitura. Havia funcionário analfabeto. Mandei que o liberasse no horário de trabalho para estudar.As igrejas aderiram e tocam os seus programas. Criei a figura do Agente Comunitário de Educação, mais ou menos como um voluntário, que recebe uma ajuda para cobrir suas despesas. A maioria dos nossos analfabetos são mulheres e estão longe, na roça, assentamentos e garimpos. Não é fácil chegar a eles. Só pelas igrejas e Agentes Comunitários de Educaçao.  Os números estão caindo. Mas, ainda não são os ideais. O programa deve continuar, firme e resoluto, para atrair o idoso, o trabalhador rural ou trablhadora. O caminho é este. Vamos conseguir.

ENERGIA - ÁGUA E ÁRVORE

O Rio Melgaço muda de cara em cada lugar. Na cidade de Pimenta Bueno ele quer o mundo inteiro para ocupar. Esparrama-se. Mais acima, cerca de 60 quilometros, fica bem fundo e estreito. Mete-se numa rocha imensa, corta-a com a força perfuratriz, e rola em velocidade incrível, como um turbilhão de águas raivosas. Mais acima, quase que imediatamente, a ELETROGÓIS fez clareira, grande lago, uma muralha de concreto e represou o rio. Fez um canal de cerca de 4 quilômetros, desviou a água e jogou-a num despenhadeiro  para mover turbinas e gerar energia elétrica. Tudo ali é aula magistral de física. A energia potencial, em cinética e em elétrica. O lago em solitária posição, não se altera aparentemente. Os paredões de floresta savanada, densa, especial, e mais à frente outra estrutura bem diferente - uma usina térmica ou termoelétrica. A lenha extraído do lago. O extraordinário banco de germoplasma. Clonagem, estaquia, gemas. Todas as espécies de eucaliptos repicados em tubetes. O oceano verde de floresta plantada, breve será, uma nova economia. A renda, provável, indicativa é que num hectare de floresta possa nele o agricultor obter  renda anual dez vezes maior que a criação do gado. A lenha queimada gerará energia eletrica. As duas - térmica e hidrelétrica gerarão energia suficiente para atender a 350 mil pessoas. Um quinto do Estado de Rondônia. Tudo ali é muito. É vasto. É grande. Investimento de 450 milhões de reais. Em pleno funcionamento - agosto deste ano. O máximo e melhor - o reflorestamento será mais uma alternativa para economia do Estado.

CICLO CAIRU


A empresa CAIRU  fica em Pimenta Bueno. É uma grande empresa. Cerca de mil funcionários da cidade. Movimenta a venda de peças de motocicletas e bicletas. Vende biciletas inteiras, produzidas ali mesmo. Conserto. Quem de fora olha não é capaz de imaginar a grandeza. Importa e exporta.  Atende o Norte e o Centro-Oeste. Uma empresa que nasceu aqui mesmo em Rondônia.  Saiu de uma singela oficina de reparos. E de grão em grão foi subindo os degraus. É por isso que Pimenta Bueno é soberba. A nova planta da empresa é deslumbrante, mais de quinze mil metros quadrados. Entrei nos seus depósitos e me perdi em suas malhas e labirintos. Tudo é grande e amplo, quando não cabe embaixo, criam-se novos espaços aéreos. Uma lógica perfeita. Em que tudo se entende muito bem. Vendedores, cobradores, conferencistas, arrumadores, empacotadores, compradores, banco de dados, tecnologia da informação, modernizaçao de processos, enfim, tudo arranjado para ser perfeito. É assim, minha gente, que se constrói um Estado. Governo de um lado puxando a guia do progresso. Empresários sustentando a riqueza. Mercadores a desafiarem a lógica do nosso território e ocuparem o mundo inteiro. A partir dela, a Cairu, a cidade pegou, consciente ou não, o ardente desejo, por sina ou mérito, a vocação para o empreendedorismo. Até parece que em Pimenta Bueno tem uma escola de sucesso. Que vai dos serviços, as confecções, a ceramica, as peças e produção de energia elétrica. Tudo por ali é muito especial. Aos pilares do desenvolvimento - Eugênio e Euflávio - os meus sinceros agradecimentos.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

PIMENTA BUENO


Desde ontem que estou mergulhado nas veias de Pimenta Bueno. Não no Pimenta Bueno da expedição de Rondon. Mas, da cidade. Fui fundo aos seus corais mais brilhantes, a sua vida no trabalho e renda. Ela é especial, quem passa pela BR 364 não percebe os seus segredos de viver. No centro da cidade tem uma praça imensa, onde se encontram os serviós essenciais: os bancos, comércio mais intenso, fórum, ministério público, câmara, prefeitura, hotéis. Por ali o povo chega e sai, cada qual com seu motivo de necessidade. A medida que se afasta da praça surge o burburinho intenso das suas microempresas de confecções, informática, cerâmica e uma megaempresa de peças de motocicletas e bicicletas - a Cairu. Pimenta Bueno é um oásis de inovações onde se brotam arranjos produtivos extraordinariamente diferenciados. No seu coração pulsa uma energia incrível  que é o empreendedorismo como princípio e fim de sua própria existência. Pimenta Bueno vive este presente com olho imenso num futuro de riqueza. Parabéns.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

ESCOLA INTELIGENTE



A escola tem a cara do seu diretor. O diretor é o grande líder. Diretor ou diretora. Vender a imagem positiva da escola, buscar parceria com a comunidade, trazer o comércio para dentro da escola para que possa investir nela. Por exemplo, uma farmácia que patrocine bolas para os meninos, pode usar o espaço da escola, muros e placas para a promoção do seu comércio. Assim também como a panificadora do bairro, pode fazer o mesmo, investir na manutenção dos banheiros escolares. Na água de beber. No paisagismo escolar. Na horta, na oficina. Assim vai. A escola inteligente tem que se ajustar ao novo momento. Trazer pra dentro dos seus muros o que acontece lá fora. E ainda mais, buscar parcerias com todas as igrejas, para tocar o Programa Proed - anti-drogas, com a metodologia que a Polícia Militar tem e orientar a criança desde o primeiro ano. É assim que se construirá uma ESCOLA DO FUTURO OU ESCOLA INTELIGENTE.


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A FASE DA CONCRETAGEM

Eu chamo a fase que antece a convenção - de fase da concretagem. É difícil fase de formação de alianças. Você nem imagina como é trabalhoso. Todo mundo fica com a cabeça a mil. Sem saber direito o ninho mais seguro para se estabelecer. E roda conversa com um e com outro. A gente pensa que está tudo amarrado. Quando chega o dia seguinte - cadê! Tudo volta ao zero. E lá vai rolando o novelo. E vai e vai. Até o fechamento final. Nesta fase é que formam os acordos, encontra-se o vice ideal e compõe o importante tempo de uso da propaganda eleitoral da TV e no Rádio. Cada partido tem o seu pedaço de tempo. Que vale ouro em pó. E daí surge esta loucura toda. Hoje em dia, a formação das alianças passa pela máquina calculadora. A soma provável dos votos das legendas. E aí cada provável candidato faz a sua conjectura de votação para atingir o coeficiente eleitoral. O que não é fácil. Geralmente o partido vai para onde sinaliza melhor condição de eleição das candidaturas a deputados estaduais e federais. Eu estou concretando a minha vida e o meu sonho. Só tem que o meu sonho é bem real. Eu não prometo nada que não possa cumprir depois. Se a verdade servir, com um pouquinho de doce de leite, aí aceito e quero.





Na foto estão os Senadores Acir Gurgacz, Valdir Raupp, o vice-prefeito José Márcio Londe Raposo e eu (Confúcio Moura) - pode imaginar o teor da conversa, não pode? - POLÍTICA DE ALIANÇAS.

GRANDE ESPERANÇA


14,30 h em ponto, ontem, Centro Cultural do Banco do Brasil, sede provisório do Governo Federal, Casa Civil, encontro com o Secretário Executivo  Dr. Gilles, segundo nome em autoridade depois da Ministra Dima Roussef. Márcio Londe Raposo e eu entregamos-lhe o projeto executivo do esgoto sanitário de Ariquemes. Valor R$ 75 000 000,00 (setenta e cinco milhões de reais). Proposta é que seja incluído no PAC-2, que será lançado entre março ou abril deste ano. Dr. Gilles assumiu o compromisso de agendar o nosso município neste plano de metas. O que será maravilhoso. Obra do PAC tem recurso garantido e não pode ser contingenciado.  Ariquemes é cidade bonita e desenvolvida. Fica feia no quesito saneamento básico. O caminho ainda é longo. Há vários obstáculos para se saltar. Aquisição da área, licenciamento ambiental, elaboração do projeto executivo. Foi entregue o projeto básico, apenas, que foi feito pelo Engenheiro de Saneamento  Dr Kuroda, em Porto Velho.  Projeto feito e pago. O projeto executivo é bem detalhado, peça por peça. Quando tiver assegurado, aí sim, iremos  providenciar tudo. Mas, já vamos adiantar alguma coisa. Confiante na palavra do Gilles, que inclusive conheceu Ariquemes, quando trabalhava como geólogo da Paranapanema nos anos 80. Eu já mandei o meu grito de guerra para o espaço. Agora, é só esperar o eco.

O MESTRE MICHEL TEMER


Ontem, 23 de fevereiro, 12 h tive com Michel em audiência no seu Gabinete na Câmara dos Deputados. Apresentei o amigo Márcio Raposo (atual vice-prefeito de Ariquemes) e fiz o convite para seu comparecimento às solenidades de inauguração do novo prédio da Prefeitura. Ele olhou o convite e admirou a obra. Realmente é um espetáculo de arquitetura e bom gosto. Ariquemes merece. A conversa rolou sobre política, a candidatura ao Governo do Estado. Falei da provável divisão da base aliada em Rondônia, com os lançamentos  do Deputado Eduardo Valverde e do Senador Acir  Gurgacz. Ele, como sempre, muito comedido com as palavras, apenas me deu força e pediu para tocar a campanha pra frente.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

A NOVA ESCOLA RURAL


A escola rural atual deve se transformar em RURBANA. Já dizia assim Gilberto Freyre um dos maiores sociólogos brasileiros. Autor de Casa Grande e Senzala. Porque a escola deve formar o novo homem do campo, aquele poderá  instruir-se com a moderna concepção de produção agrícola e pecuária com preservação ambiental. Esta onda ambiental não vai parar.  Todos podem ver por aqui a presença constante da Policia Federal, Guarda Nacional, IBAMA e órgãos de inteligência mapeando o desmatamento. Agora é pra valer. Então, tudo isto deve ser ensinado. Não se pode ter uma escola rural que forma meninos para a cidade. E aí? Que vai cuidar da produção de comida para o mundo. Ainda bem que agora temos em Ariquemes o Instituto Federal de Educação que  veio par completar o ensino rural  que ainda está bem erradinho - totalmente voltada para a urbanização. A vida rural é digna. A vida rural com modernização e tecnologia pode ser bem rendosa. Além da qualidade de vida de quem mora no campo.

EU QUERO ESGOTO PRA MIM

ESGOTO





Uuhhhh! Vixe! que tanto cheiro ruim.

É o bom cheiro que me falta. O cheiro ruim. O cheiro dos gases da cidade. De todos ali acumulados, guardados, bem longe, e aí sim, depois dele a cidade fica cheirosa. Sem canos enterrados, sem bancos de coleta, sem estações de tratamento a cidade fica fedida. Esgoto não é luxo. Não é vaidade, nem brinco, nem maquiagem. Esgoto é necessidade. Depois do esgoto vem a riqueza. Vem a cidade bonita, porque vai sobrar dinheiro. Hoje em dia, o dinheiro vai para a doença. A Secretaria de Saúde, na verdade, é a secretaria da doença. Vou mudar o nome. Assim ela fica melhor, mais verdade.
Já falei que uma cidade sem água tratada e sem esgoto sanitário é cidade sem futuro. É a porta aberta para prosperidade de doenças. Doenças do atraso. Esgoto é necessidade. Não é fácil deixar uma cidade toda saneada. Ainda mais no Brasil acostumado com a praga da insalubridade. E Prefeito não gosta de fazer obra que fica enterrada. Outro impedimento é a falta do financiamento. Para se entender a situação, em Rondônia só há duas cidades com a maioria das casas atendidas com água e esgoto – CACOAL E ALVORADA DO OESTE. As outras pouco ou nada. Hoje, estou em Brasília, com o Márcio da Novalar para um contato definitivo com a Ministra Dilma Roussef ou assessoria imediata. Quero dinheiro do PAC para esgoto de Ariquemes. Creio que tudo dará certo. O valor – 80 milhões de reais. Que os anjos digam amém e Ariquemes também.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Você é nosso grande convidado.

Estaremos entregando a população de Ariquemes, no dia 25 de março, (quinta-feira) a central de monitoramento, que faz de um amplo e moderno projeto, denominado Infovia Ariquemes, que consiste na instalação (inicialmente) de 13 câmeras sensíveis espalhadas em pontos mais visados por assaltantes, de maior índice de acidentes e que merecem uma vigilância, também como forma de ajudar no reforço da segurança pública




Você é nosso grande convidado.
Venha e participe do lançamento deste programa que tem como objetivo dar novos rumos a segurança pública na cidade de Ariquemes.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

UM POUQUINHO DE MIM MESMO



Sou um sertenejo goiano e tocantinense, sou cinco estados como ninguém é. Um retirante e sobrevivente ainda agarrado aos ares do lado de lá. Bem perto ficam Bahia, Piauí e Maranhão. Os ventos varridos dos gerais do Jalapão também me sopraram o corpo inteiro. Bem ali, em outros tempos, poderia se dizer o fim do mundo ou quem sabe o começo. Onde o céu era bem mais azul. E a visão morria na Serra Geral, coberta do escuro do nevoeiro. O silêncio demorado, quebrado pelo grito dos pares de araras azuis e vermelhas, sumiam no infinito dos ollhares. Os ermos gerais, enfirleirados buritizais, copudos, guarda-chuvas fincados nos brejos pantanosos. O gado curraleiro arredio. O medo, a crença, o mito, tudo por ali era história de outros tempos. As ruas tortas, de casas agarradas, solidárias, idênticas convergiam para a praça da matriz, o pilão socando o milho, a peneira abanando o arroz da casca. A praça retangular, uma pedra imensa, uma caixa d'água, jegue relinchando a solta, o coreto, a igreja onde se concentravam todos os pecados da cidade, quase todos perdoados.  Sou dali, deste canto de Brasil varonil. E depois filho de candango, calango, da Vila Planalto, de onde se via o pai subir andaimes do maior prédio de Brasilia, aquela haste que sobe entre o Senado e a Câmara dos Deputados.  O barro vermelho, o cerradao bruto, o capim provisório penteando a terra, o caju, o araçá. Sou isto tudo que é verdade, o mais mestiço do mestiço, vindo de cruzamentos e mais cruzamentos, quase uma azarão de ter vivivo,  dou-LHE graças e bem-aventuranças por hoje estar aqui em Rondônia. Sou um norte, nordeste, quem sabe ainda um centro-oeste, ou melhor dizendo um noroestino comedor de mocó.  Como diz Chico Padre, um baiano cabra de peste, de pé no chão, unha arrebitada pra cima de tanto "tropicão". É istoque sou. E nada mais.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

O QUE VIRÁ DEPOIS DAS USINAS?


Uma pergunta no ar, principalmente, para quem reside em Porto Velho - o que virá depois das usinas? Tenho resposta na ponta da lingua:  muito mais energia. Não temo pelo sentimento de terra-arrasada. Nem pelo destino das cidades barrageiras. E nenhuma semelhança com cidade-garimpo.  Nada disto.  Tudo será bem previsível e Rondonia continuará a mesma. Apenas, mais importante, mais valorizada, mais interessante. O homem tem imensa capacidade de resolver seus problemas. As crises existem de quando em vez. O povo a supera. Dezenas de grandes empresas firacão instaladas. O mercado arranjará rumos para as exportações. A produção de alimentos será intensificada. Virão outras usinas nos países vizinhos. Logico que o Governo deverá investir maciço na preparação da mão-de-obra para os jovens. O incremento do cooperativismo. Da economia solidária.. Seguir os rumos das vocaçoes e potencialidades do Estado. E tudo aquilo de admirável que possar ser estimulado e criado. Rondônia é um Estado solução. Foi com este fundamento que  foi colonizada. Para abrigar milhares de colonos expulsos das propriedades pelo drama da mecanizaçao da agriculcutara no sudeste brasileiro. Fique calmo! No fim tudo dará certo.

Aos amigos de Porto Velho


De quinta feira até 12 h de hoje fiquei rondando Porto Velho. Visitas e mais visitas. E assim seguirei.
A partir de amanhã, estarei postando um resumo e fotos que registraram grandes encontros que participei na capital.
Adianto ainda meus sinceros agradecimentos aos membros do Diretório do PMDB de Porto Velho pela calorosa receptividade. Contarei um pouquinho sobre cada um que esteve comigo durantes esses dias.

INTERNET NAS PRAÇAS


Dia 25 de fevereiro próximo entregarei à cidade o Programa INFOVIA ARIQUEMES. Faz parte do ARIQUEMES DIGITAL - com telecentros comunitário - temos no Setor 10, Setor 9, Setor 2, Casa Brasil, Ceplac, Centro da Juventude, Museu Rondon e Biblioteca Municipal (este em fase de instalação). Além dos laboratórios de informática em todas as escolas. Segue no mesmo rumo - a telefonia voip nos órgãos públicos municipais, a Internet em rede nos órgãos públicos, Câmeras de segurança na cidade e mais tarde Internet nas praças, rodoviária, feira livre para quem quiser usar o seu laptop ou computador fixo. Tive conversando ontem com o Márcio, vice-prefeito, para que Ariquemes seja uma cidade inteligente neste setor, abrindo espaços com incentivos fiscais e áreas para quem quiser instalar aqui com suas empresas e serviços na área da informática. Queremos a cidade vendendo programas especiais para o mundo. Fiz o começo, lancei a flecha, de agora em diante a bola está com vocês.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Igreja Missão Kadosh - Apóstolo René Terra Nova


Na noite da última quinta-feira (18-02), atendendo convite dos apóstolos Silvio e Sueli Viola, participei na Igreja Missão Kadosh, do encerramento de um evento “Um dia com o apostolo Renê Terra Nova.
Um grandioso acontecimento que reuniu aproximadamente 1200 pessoas, e com a presença de 92 pastores vindos de diversas regiões do estado.
Fiquei surpreso com a grande mobilização e com o imenso carisma do apóstolo René.
Família Viola, obrigado pelo convite. Foi uma satisfação participar mesmo que por instantes, desse grandioso evento promovido pela Missão kadosh.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

ATENÇÃO AO IDOSO


Aumenta a cada dia o número de idosos. Quem já completou os 60 anos ou mais. Grande parte aposentado, filhos crescidos, casados, netos. Aí bate a solidão. Casa cheia e o papo fica difícil porque o "velho" tem uma conversa de outros tempos, que nem sempre interessa as gerações atuais. Além do mais vem a repetição de suas saudades. Cada geração se entende com gente da mesma geração. Preferencialmente. Então a criação de centros de encontros e convivências farão muito bem aos idosos que necessitam sair de casa para jogos, conversas, namoros, passeios. Em Ariquemes introduzimos boas práticas para a idade. O Centro da Juventude continua com o mesmo nome, mas, é o local de encontro deles. Os ônibus adaptados para portadores de necessidades especiais trafegam pela cidade gratuitamente. O telecentro destinado a eles e tem vários em Ariquemes.  Danças, festas, almoços, passeios. Temos três ônibus para seus atendimentos. O atendimento médio e odontológico preferencial. Um bom começo não é?

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

OS MOTIVOS DA POLÍTICA



Todo homem faz o que pode para ter poder. Poder é alguma coisa que não existe. No entanto é tão procurado e perseguido. O poder está em qualquer lugar. No trabalho, no bairro onde se mora, na igreja, na associação, sindicato. Nestes locais sempre aparecem disputas pelos micropoderes bem localizados. Maioria deles o sujeito só tem é trabalho duro. Difícil. Para depois arrumar um monte de inimigos. Quer arrumar adversário ou inimigo, então busque o poder?  Só tem uma coisa, parece que o poder é meio tribal, até o índio mais arredio, luta lá no mato, para o ser o chefe da tribo, o cacique, por ali deve ser o mais valente, o que carrega a mais pesada tora por maior distancia. Já vi briga horrorosa para presidências de associações de bairros e rurais. Até em igrejas, para quem seja o escolhido festeiro do ano seguinte. Deus me livre. A disputa a ferro e fogo não é só nestes lugares simplórios não -  mesmo nas universidades, eleição de reitores, o bicho professor mostra as garras com toda força. Baixa o nível. Diz palavrões. E o pau quebra. O poder é como se pode dizer melhor - "é um pau de sebo com a uma nota falsa na ponta".

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

DR FAUSTO - SANTO MÉDICO


Vou misturar neste "post" a mensagem do meu irmão Nóbel, que descreve assim a vida e o trabalho do médico ortopedista Dr. Fausto:
"exímio ortopedista, especialista em quadril e ombro (prótese), 61 anos de idade, é portador de hérnia de disco. Eu deito numa cama a seu lado e na penumbra do quarto, sem que ele veja, observo-o. Ele levanta com grande dificuldade e dor. Coloca ambas as mãos sobre o colchão. Começa a erguer-se. É como se seus braços fossem guindastes tentando salvar o peso sobre sua coluna. Observo os trejeitos do rosto sofredor. Finalmente, levanta-se e atende o doente no Pronto Socorro, como se nada sofresse.
Isto é admirável.
Quando opera, tenta por força para vergar suas placas, com os braços esticados, para suavizar o esforço sobre a coluna. Sai da cirurgia e vai atender filas e filas de pacientes (em média atende a 80 no único plantão).
Talvez seja este o médico mais santo de Rondônia. Esta é a palavra -   S-A-N-T-O!
Quando se despede  dele, ele diz: "Vá com Deus ou fique com Deus"

Não preciso dizer mais nada.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

EDUCAÇÃO - INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS

Sempre entendi que o cérebro tem gavetas. Em algum ponto dele está a memória. Nascemos com gavetas vazias. Pouco a pouco o mundo vai entrando no cérebro. Armazena voz. Imagem. Letras. Cores. Emoções. Conhecimento. A educação convencional baseia-se em dois pontos - conhecimento da língua e raciocínio lógico ou matememático. Aí começa o ba-be-bi-bo-bu. A tabuada. O psicólogo americano - Howard Gardner - meteu o bedelho na vida dos professores do mundo. Tem mais coisa a ensinar a criança, além da lingua e da matemática. São oito  inteligências que podem ser aprendidas na escola ou em casa ou na rua. A inteligencia musical, visualização do espaço, controle do corpo, natureza, relacionamentos, limites e expectativas e mais os dois conhecidos. Ele só é psicólogo, não pode dizer como é que se deve ensinar as outras inteligências. Daí  de quando em vez admirar-se pessoas que tem poucas letras sairem tão bem nos negócios e noutras atividades profissionais. Deixo aqui este texto curto para que você vá fundo no seu conhecimento, ainda mais se for pai. Verá que pode e deve ser também educador. O pai educador. Enquanto professores avançam neste mundo admirável, vá fazendo a sua parte em casa.

A FESTA DO JERICO


De sábado para domingo havia 40 mil visitantes em Alto Paraíso. Moças e rapazes, sons dos carros nas nuvens, noite inteira acordada. Eles ficavam rondando avenida principal, compondo o congestionamento proposital. Cidade sem lugar para todos. Mais parecia um acampamento de Woodstock. Todo mundo se liberando. Semana inteira foi assim. Coincidiu este ano carnaval, aniversário da cidade e a Festa do Jerico. Tripla alegria, portanto. Em si a festa do Jerico acontece no último dia, domingo. Uma pista arredondada, serpenteante em si mesma, altos e baixos, poças de lama pura, muita água, lisa. Tudo poderia resumir-se nela. Os dias da semana enchem-se de atividades tribalística, por si mesmas arrumadas. Uma festa solda, descabrestada. Livre. Como de resto é a maior parte de nossas vidas. O imprevisível destino das coisas.

Jerico aqui não é jegue. Inicialmente pensei que fosse. A festa nasceu como nasce um pinto. Foi bicando a casca e depois saiu. Nasceu a festa. Iniciativa de dois ou três mecânicos da cidade que tiravam quando em vez um tempinho para um “pega” de jericos. Um equipamento móvel motorizado, composto de peças usadas, quase sempre. Motor estacionário comum, de uso agrícola ou caseiro. Eixos, rodas, chassis, lataria juntados a gosto. Maioria não tem gabinete. Nem vidros. Nem retrovisores. Rodam nas ruas e estradas. Mesmo parecendo um carro ele tem uma consideração especial da Polícia. Ninguém o impede de trafegar. Mesmo sem placas, registros, seguros, segurança. Ele nasceu sem nenhum pecado original. E roda livre no Paraíso. Tem serventia pra tudo. Puxar lasca na roça, milho, material de construção, madeira em tora, ambulância, transporte coletivo. O jerico é um “Bombril”.

Na hora da corrida o povo vai chegando e enchendo as arquibancadas. Um dia mormaçado, sol aparentemente oculto, que de propósito queima a pele. Uma arena romana barulhenta, mais para rir do que para se aplaudir. Só por sorte sai um ganhador. Ano a ano a festa vai se compondo. Próximo ao jericódromo tem o igarapé farto de águas verdes. Jovens soltos mergulham, casais embalados pela euforia do amor abraçam-se. Tem a plataforma coberta para as autoridades, que se chocam em sorrisos universais diante do povo indiferente que aplaude apenas o confronto das jerigonças motorizadas. Um baque no fundo de uma poça de lama, pilota atiçada no lamaçal. Ahhhhh! Corpo de Bombeiros com maca e colete cervical carrega-a para os primeiros socorros. O script da festa é composto pelo povo. Mais pelo forasteiro.
Se é boa ou não para a cidade, pouco interessa. Não dá para levar em consideração vantagens financeira. A festa por si só basta. Porque festa é festa. A alegria é o lucro real.


domingo, 14 de fevereiro de 2010

FESTA DE INLEIÇÃO (POMPÍLIO DINIZ)


Amigo pras nossas banda

Quando é tempo de inleição
Os candidato é quem manda
Dar comida e condução
E a agente que vai votá
Come até arripuná
Carne de porco e pirão

Só existe dois partido
Governo e oposição
Os outro é tudo envolvido
E que a gente queira ou que não
Tem que escolher um dos dois
Pro mode ir votá depois
No dia da inleição

Dizem até que nenhum presta
Não vou atacá os home
Mesmo nois vai é pra festa
Tirar a barriga da fome
Depois votá por votá
E do voto que a gente dá
Só se aproveita o que come

Foi por isso que Vicente
Nessa última inleição
comeu que ficou doente
Carne de porco e pirão
Sarapaté e shoriço
E depois con sacrifiço
Foi votar na oposição

Mas quando chegou a hora
do pobe home vota
Deu vontade de ir lá fora
Um pouquinho Se aliviá
Mas o tá do presidente
Começou chamá Vicente
E mandou vicente entrá

Vicente então assinou
O que tinha de asssinar
E se acabando de dor
Sem poder nem mais falar
Mostra o tiílulo se previne
Entrou dentro da gabine
E demorou de votá

E o povo de cá de fora
Cemeçou a reclamar
Diz um fazendo chacota
Seu fiscá vota ou não vota
Diz outro vamos embora
Hoje é só pra vicente
E esse tá de preidente
Não bota o home pra fora

E o presidente da mesa
Temendo haver uma revorta
Levantou-se da cadeira
E foi bater lá na porta
Da gabine de Vicente
e depois de uma tres batida
Disse a voz grossa expremida
TEM GENNNNNNTE

sábado, 13 de fevereiro de 2010

NÃO É BRINQUEDO NÃO


Cara!
A coisa é séria. E feia. E bota "feia" nisto. Foi ontem quando tive em Cacoal. Resolvi visitar um amigo que infelizmente está preso. Os muros imensos em radical contraste com o entorno de residências. A edificação do presídio é de uma arquitetura triste. Creio que todas são mais ou menos iguais - tristes. Muros altos, quaritas, sentinelas, armas, burburinho, portões de ferro, enquanto fora as crianças brincam e o sol é tão livre. Até os pombos não pousam no seu telhado. Um toque na campainha e uma janelinha se abriu. Uma banda da face, um olho imenso nos fotografou do lado de fora. Apenas três tiveram acesso ao interior. Daí a pouco lá vem ele. Ainda longe, uma porta rangeu, homem magro, cabeludo, de bermudas, cabeça sobre dorso das mãos, inclinado ao muro, uma "busca" no corpo feita pelo carcereiro. O homem ali, ainda indescritível, sendo apalmado do pescoço aos joelhos. Desceu a escadaria de cimento, algemas nos punhos, cabeça baixa. Reconheci-o de perto, apenas. Não é o mesmo. Não é. Pálido, sem brilho, sem risos, sem assuntos. Chorou. Eu também me engasguei na emoção.Um ano e pouco confinado, sem decisão da justiça e uma rotina de 20 metros quadrados na companhia de outros 17 prisioneiros. Pouco mais de 1 metro quadrado para cada um. Se fosse por um dia já seria dificil. No banheiro dormem quatro outros encolhidos e sentados. Uma masmorra. Tal qual os porões dos navios negreiros. As prisões subterrâneas da maldita Inquisição. Oh! bendita liberdade, que tanto tenho e não valorizo! O banho intímo, o uso da vaso sanitário reservado, o encontro na rua, o vento na face, enquanto o dia passa.  Oh! liberdade que a tenho de graça, que tanto a vejo e ela passa, que nada me custa e se não cuido dela, a minha vida se acaba. Abracei o amigo, engasguei de novo, segurei a lágrima, ela queria sair, não deixei, ela ficou presa na fala, ficou presa na cela. Ficou presa no meu peito. Enquanto ao sair de lá pensei - será que uma prisão assim, deste jeito, ressocilizará alguém? Será?

QUINTA FEIRA DE RICAS INFORMAÇÕES

Dia 11, quinta-feira, noite inteira de chuva mansa, céu de chumbo, dia amanheceu igual. Assim mesmo meti-me no carro e fùi à Porto Velho. Tinha agenda cheia. 8,30 h estava à porta da empresa e que empresa! a Santo Antonio Energia Sustentável. Ela veio pra cá para cuidar dos temas ambientais da construção da Hidrelétrica de Santo Antonio. Pessoal técnico de altíssimo nível. Todos os seus relatórios estão na ANEEL (agencia nacional de energia elétrica). A vida dos peixes com as usinas, os banhados do Rio Madeira, várzeas, populações ribeirinhas, aves, o movimento migratório, a navegação, enfim, como ficará tudo isto com a represa? Claro que não ficará igual. Nem tão romântico como sempre foi as águas barrentas do Madeira e vida dos barranqueiros, pescadores e barqueiros. Das populações tradicionais de pescadores, seringueiros e gente acostumada  com aquela paisagem extraordinária de água e céus.  Mais tarde ao Porto Hidroviário, a empresas Hermasa com sua imensa visão de futuro de empreendedor arrojado que foi   André Maggi e que em breve o porto ficará pequeno demais para o movimento de exportaçao de soja e milho que vem do Mato Grosso e do Cone Sul de Rondônia.  Serão 5 milhões de toneladas de grãos ao ano. O Porto será mudado de lugar. A grande homenagem oferecida pelo PMDB ao Senador Valdir Raupp pelo seu trabalho em Brasília. Sua visão de estadista ao defender o Estado e seus grandes projetos integradores de desenvolvimento. Mais  de quinhentos correligionários e amigos tiveram no Aquarius Hotel.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Academias ao ar livre


A Prefeitura adquiriu quatro academias inteligentes ou academias ao ar livre. É uma nova forma de estimular a cidade a se movimentar. A primeira que foi instalada na Praça Ernesto Catâneo, foi uma loucura, virou procissão de gente visitando. Nem havia jeito de se exercitar nela. O Governo do Estado mandou mais uma pra cá. Serão instaladas na Praça do Setor 9, Setor 6, Pista de Cooper e Praça do Setor 5. Com mais as pistas de caminhadas o povo deve de agora em diante pegar mania de fazer caminhadas, exercícios físicos orientado. Com isto, um bom bate-papo, uma conversa depois da caminhada, fará uma diferença maravilhosa. Para melhor. O sono será bem mais calmo e tranqüilizante. O estresse irá embora. Além do mais, quem é solteiro ou separada terá uma oportunidade extraordinária de arrumar um novo amor. Boa sorte pra vocês.





quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Carnaval


Semana que vem o Brasil vai sambar. O Carnaval veio do Século XIX no Brasil e se chamava Baile de Máscaras. O pessoal saía pela rua, tocando e dançando e foi evoluindo pouco a pouco até virar uma festa nacional, que junto com o futebol, até o momento, marca a cara do Brasil no mundo inteiro. Além do mais em alguns Estados o carnaval atrai turistas, como os de Salvador, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. No Maranhão também. O povo se divide quanto a sua natureza. Os religiosos concentram-se nos "retiros" e aproveitam o tempo para evolução espiritual. Enquanto outros vão ao samba. A festa em si é patrimônio do povo. Movimenta muito dinheiro. Os canais de televisões e rádios tem muito o que fazer na semana.  Em Porto Velho o povo ama o carnaval. Tem os blocos de ruas. E não fazem feio. Lembro-me bem que ao final da festança, na minha cidade natal, tinha o bendito do "entrudo", o costume de jogar água nas pessoas que passavam nas ruas. Era uma loucura total.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

AGROECOLOGIA - UMA ESCOLA DE ALTERNÂCIA


Como falei, de onde menos se espera é que sai o coelho. Na reunião de hoje, na Escola Mafalda Rodrigues, com assentados da reforma agrária, um agricultor do PA 14 de Agosto pediu a palavra. Fiquei observando bem o jeito dele. O camarada foi discorrendo sobre a necessidade de uma escola diferente em Rondônia. A base seria a educação integral do filho do agricultor, exclusivamente voltada para a agroecologia no seu sentido amplo.  Além de todos os componentes voltados para a produção de alimentos orgânicos, as novas tecnologias de produção com preservação ambiental, o lixo, a saúde, a boa educaçao. Ele foi fundo no tema, disse mais de uma escola bem natural, até mesmo professores leigos compondo um quadro de educadores especiais e vocacionados, que fossem passando aos alunos os seus conhecimentos práticos.  A vivência do homem do campo. O respeito a origem do povo brasileiro. E evoluisse até um homem completo, cidadão de verdade, conhecedor de direitos e deveres. O modelo seria mais ou menos como as Escolas Famílias Agrícolas ou de alternância voltadas para formação de agricultores ambientalistas.

REUNIÃO ESCOLA RURAL MAFALDA RODRIGUES E ASSENTAMENTOS RURAIS

Cheguei agorinha mesmo de duas reuniões muito interessantes na área rural de Ariquemes. O local foi a Escola Mafalda Rodrigues que fica às margens da BR 364, sentido Cuiabá. É uma bela  escola. Ela é o centro de convergência de três assentamentos rurais e mais três acampamentos. Foi agendada a conversa com os assentamentos 14 de agosto e Novo Amanhecer e vizinhança.  Achei extraordinária. Sabe quais foram os assuntos - TELEFONIA RURAL, INTERNET RURAL E AGROECOLOGIA. Você já pensou como está a cabeça do pessoal?  Há tempos os temas eram bem outros - ponte caída,  crédito rural, escola, saúde. Como mudou a coisa - O mais importante foi a naturalidade com que foi abordado o tema, com maior segurança e todos se oferecendo para o estabelecimento de parcerias. Por aí se percebe como está o mundo de atual, além da produção de comida os assentamentos da região querem a incorporação da tecnologia  e de modernos meios de comunicações a sua disposição.Francamente achei o máximo. E de tudo - vou encaminhar a proposta para que evolua para a um projeto e tudo venha a se concretizar. Daí pra frente a pressão será total para todas as bandas do município para que se coloquem os mesmos benefícios para todos.

A NOVA PREFEITURA

Está marcada a inauguração do novo prédio da Prefeitura. Uma obra importante e compatível com a estatura da cidade de Ariquemes.  Tudo por aqui mudou. O empresariado tem feita a sua parte. As novas lojas, hospitais, escritórios, residencias - todo mundo tem feito investimento. A Prefeitura estava devendo. O velho prédio preencheu o seu tempo. E fez a sua história. Infelizmente não oferece nenhuma condição para atender a um visitante. Nem para se despachar a rotina diária.  Nao tem recuperação e nem conserto. Tão logo seja inaugurada a obra do novo prédio, o antigo será demolido. Bem que poderia se transformar em algo de histórico, mas, não dá. A data para ser entregue ao povo da cidade será o dia 6 de março próximo. E todos serão convidados porque vale a pena. É um marco importante nos momentos da vida da cidade e um local onde todos os moradores poderão  procurar para resolver todas as suas necessidades. O meu sonho é que este local bonito seja trasladado para dentro de todas as casas e escritórios da cidade. Oferecendo serviços instantaneos ao povo, sem sair de casa. É possível. É o que espero dos futuros prefeitos de Ariquemes. Boa sorte a todos.

UM BATE PAPO BEM LEGAL


Na segunda-feira passada, dia 8, uma reunião bem infromal, destas que não se combina nada e acontece. Fui ao Senado para conversar com o Senador Raupp, chegando lá estavam Tomaz Correia e Dr. Leandro Law que foram à Brasilia para a Convenção do PMDB. A seguir chegou o ex-Senador Amir Lando e nos sentamos para conversar. A conversa rolou às alturas.  Sobre campanhas passadas, sobre o que poderá acontecer ainda este ano. Certo é que o Senador Raupp ficou bem prestigiado ao ser eleito vice-presidente da nossa legenda em nível nacional.  Importantíssimo. Logo ficará  como o grande negociador do partido e terá imensa responsabilidade com o futuro. Que seja o de preparar um nome para uma candidatura própria na eleição de 2014. Parece longe, mas, está ai bem à frente. A marcha do tempo é imperdoavelmente real. Logo, um partido do tamanho do PMDB deve preparar-se para ocupar o seu espaço verdadeiro. A construçao do lider do futuro. E líder não se nomeia. Nem se faz de uma hora para outra. O líder é feito é na luta. Não basta ter mais prefeitos, vereadores, deputados estaduais, federais e senadores. Temos que fazer o Presidente da República para consolidarmos verdadeiramente como um partido forte.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

UMA NOVA ESPERANÇA


Todos sabem que na cidade não tem esgoto sanitário. A não ser fossas comuns. Cada um tem a sua. No Setor Comercial, bancário e hospitais não há mais lugar para se furar outra. Uma crise foi instalada – até os caminhões limpa-fossas estão impedidos do trabalho. Faltam-lhes licenciamentos ambientais. 
Ontem, tive no Palácio do Planalto, não foi no lugar habitual onde fica, mas, no Centro Cultural do Banco do Brasil, onde está improvisadamente funcionando a sede provisória do Governo Brasileiro. Fui conversar com o Chefe de Gabinete da Ministra Dilma Roussef – Dr.Gilles. Já conhecido de outros tempos. Ele trabalhou em Ariquemes com geólogo na década de 70. Ano passado tive com ele também. Várias vezes. Ficou tudo combinado que sairia 15 milhões. Infelizmente não deu. Voltei. Prefeito não pode nunca se cansar. Nem se aborrecer. Apenas, insistir. É o que sempre faço. Ele prontamente abriu novo canal de conversa. O de incluir Ariquemes no PAC – 2 que será divulgado no dia 23 de abril. Pediu-me para levar pra ele, o mais rapidamente possível o projeto de engenharia. 
Felizmente tenho o projeto pronto. O básico. O Executivo só depois do dinheiro garantido porque fica caro. Ao menos – mais uma esperança

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

CHICO PADRE E DIONÍSIO SHOCKNER


Aí estão a meu lado dois pés de aquariquaras que vão se torcendo em si mesmos, volteando em seus eixos, dobrando-se em músculos e peles, mas, resistem com enorme força a máquina do tempo. 
Dionísio é um dos poucos remanescentes ferroviários, foi maquinista da ferrovia Madeira-Mamoré, dentro dele está a história de Rondônia, a saga da Ferrovia do Diabo. Tem nas veias o sangue dos barbadianos. Gente trazida quase como escrava para o trabalho duro e insalubre durante a construção da ferrovia extraordinária. 
Chico Padre é baiano do pé rachado, unha sapecada pra cima de tantos tropeções em pedras e tocos. Ainda rema no aguaceiro de Rondônia como Presidente da Federação da Agricultura do Estado. E de mês em mês voa que nem águia para Brasília para participar dos debates  sobre agricultura, agronegócio, código florestal, negociação de dívidas com os bancos. O homem não tem sangue nas veias, tem é seiva de aroeira, itaúba e aquariquara. Um cheiro forte de canela preciosa que teima em viver sua vida de missionário de classe.

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS

Tem os médicos sem fronteiras, por este mundo afora, uma organização civil que cuida de ajudar gente em dificuldade, como recentemente vocês viram no Haiti, foram os primeiros a chegarem por lá. Aqui, em Rondônia, também tem, de maneira diferente, os médicos sem fronteiras. São aqueles que aqui chegaram há muitos anos, que vieram de longe, para ajudar na construção da saúde deste Estado. E que nós todos não poderemos esquecer deles nunca. Aí na foto está um velho guerreira - o cardiologista Dr. José Augusto, que fincou raízes em Porto Velho e cuidou de nossos corações arrepediados. A ele se junta cordão de outros também valorosos - como Noel Bispo, Gabriel, Vança, Carlos Alberto, Nóbel, Irani, Demétrio Bidá, Efraim, Paulo Marquezini, Paulo Elifas, Nilda, Ana Escobar, Viriato Moura, Victor Hugo e Simi Benesby. E a lista é de 50 a 100 grandes médicos deste Estado. Eles são também sem fronteiras. Nem vou falar dos mais antigos dos antigos - Ari Pena Tupinambá Pinheiro, Jocob Atalah, Joviniano Macedo, Murilo, José Adelino e vou parar por aqui para não ser injusto.

EU VI O RIO JAMARI VIRAR MADEIRA

Sempre acostumado atravessar a balsa e depois a ponte do Rio Jamari em terras de Ariquemes, nem me atinava vê-lo morrer, não é bem isto que quero falar, porque morrer aqui não tem o sentido de acabar de vez. Eu vi, lá em baixo, bem longe, quando o Rio Madeira, bem grande, desigual, engoliar o pobre Jamari assim como uma jibóia engole um sapo. As águas do Rio Madeira, barrentas, avermelhadas, entrocando terras baixas, formando desvios d'águas, os paranãs, até mesmo soberbo e empanturrado, não se cabendo nos limites de barrancos, sem se vexar, engoliu as águas azuis e esverdeadas do Rio Jamari. Sei lá se faltaram forças para elas, talvez, exauridas de movimentar as moendas da Usina de Samuel, ficaram mais frouxas, exangues, facilmente digeríveis pela volúpia do Rio Madeira. O Jamari não foi covarde não. Você precisa de ver o rebojo que ele formou em espumas, remansos, rodopios e para depois mais manso seguir em separação por algum tempo, mas, não tardou a se entregar e virou  somente Rio Madeira. Tudo isto aconteceu na minha visita ao Distrito de São Carlos (Porto Velho), casinhas brancas, gente feliz, que nem vê estas coisas todas como algo extraordinário, pela rotina de suas visões.

CLARICE

Minha filha Bárbara presenteou-me, ontem, com o livro sobre a vida da escritora brasileira CLARICE LISPECTOR. Ela não era brasileira de nascimento, de verdade, foi brasileira adotiva. Veio da Ucrânia ainda menina de colo. Viveu em Recife por algum tempo e na adolescência foi morar no Rio de Janeiro. Tenho vários livros dela. Mulher viajada, foi esposa de Embaixador, como militares não esquentam banco, sempre de malas prontas para as transferências de rotina. Ela então, diante de tudo, rotinas, costumes, culturas foi misturando tudo na sua literatura especial.  Tenho mania de dar livros de presentes. Mesmo para aqueles que não ainda se acostumaram às delícias de ler.  Até para minhas netinhas, ao invés de bonecas dou livros infantis. Com isto eu me alivio. Faço a minha parte neste mundo mágico de Internet e celulares. É por isso que posto aqui a minha intimidade. Bem diferente de Clarice que era avessa a dizer coisas de sua vida. Ela só dizia o que estava na sua literatura. Quando lhe perguntavam quaisquer coisas da sua rotina e vida, dava um livro seu de presente e dizia - a resposta está neste livro.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Ações Eficientes de Saúde


Se você me perguntar quais foram as mais eficientes ações da medicina do século XX - da minha vou dizer o seguinte: - SORO CASEIRO, MULTIMISTURA e VACINAS.  principalmente para o Brasil, não tenho dúvidas, que as ações eficientes da Pastoral da Igreja Católica, voluntariado, pesando menino desnutrido e orientando mães para corrigirem a dieta introduzindo a multimistura foi o máximo. Também o soro caseiro para evitar a desidratação, simples, água, açúcar e sal. Nada mais.  Quanto reduziu a mortalidade infantil no Brasil com estas medidas tão singelas? As vacinas, todas, foram o máximo para o homem. Agora, a  ANTI-PÓLIO é um sucesso maravilhoso. É por isso que digo, a saúde no Brasil pode melhorar e muito a partir de iniciativas locais como estas que foram aplicadas com o maior sucesso. Fazer o pré-natal bem feito também é encantador.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

CONVENÇÃO DO PMDB - BRASÍLIA

Neste sábado o auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados em Brasilia encheu-se de peemedebistas de todo o Brasil. Encontrei-me com inúmeros amigos que de  muito tempo não os via. Uma festa organizada. Faltaram alguns lideres importantes como Pedro Símon, Roberto Requião, Orestes Quércia e Luiz Henrique. Estes não concordam com o PMDB ao lado do PT de Dilma Roussef. Queriam candidatura própria. Sem a voz do contraditório a convenção correu tranquila. O Senador Raupp foi eleito o vice-presidente.  Certa hora o Deputado Michel Temer viu a turma de Rondônia sentada na mesma fileira. Imediatamente ao microfone destacou o meu nome e do ex-Senador Amir Lando. Convidou-nos para subir ao palco. E falou: o Confúcio é o nosso candidato a Governador do Mato Grosso. Logo percebeu a gafe e consertou - de Rondônia. Com isto quero dizer, continuou ele, o Confúcio pode ser governador de qualquer Estado do Brasil. Subi à mesa  fiquei entre o Presidente Michel Temer e o Governador do Amazonas, sendo saudado por ele. Todos os convencionais de Rondônia estiveram presentes. Encontrei-me com Lurdes Maria, Vereadora Penha (Cacoal), Irisvone, Tomaz Correia, Deputado Estadual Amauri Muleta, Leandro Law, Amir Lando e muitos outros.

Infovia



A infovia de Ariquemes é só um componente da cidade digital. Cidade digital é o nome do nosso programa de inclusão digital do nosso povo. Temos vários, muitos deles esparramados no Setor 9, 10, Ceplac, Centro da Juventude, Casa Brasil, Secretaria de Desenvolvimento Social. Secretaria de Educação, Museu Rondon, e em todas as escolas municipais.  São muitos computadores que estão por lá, pertinho dos alunos os monitores treinados. Tem professores que estão dando aulas para os meninos nos computadores. A segunda parte do programa Cidade Digital é a Infovia - ela interliga todos os órgãos públicos, terá a telefonia VOIP, Câmeras de segurança na cidade e central de monitoramento para registrar o movimento da cidade. E tudo é ainda começo. Nem sei como tudo isto vai chegar. Só sei que chegará bem perto do infinito.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Missão de Santo Antônio do Alto Madeira



Ontem, tive a grata satisfação de me encontrar com as águas do Rio Jamari, num remanso de agonia ou euforia quando se misturavam com o Rio Madeira. Os dois rios cheios se abraçavam em circunvoluções. Desci de Porto Velho por estrada de chão, pela RO 005 por oitenta quilômetros na direção do Baixo Madeira. Fui visitar o Distrito de São Carlos, que fundado em 1723 pelo jesuíta João Sampaio, existe do outro lado do Madeira na sua tranqüilidade de pescadores, servidores públicos e lagos naturais. De longe se vê casas brancas, tetos entremeados nos galhos da floresta rala. Canoas, pequenas embarcações, voadeiras de um lado e outro. "bandeirinhas" são os que fazem o transporte de passageiros. Não havia coletes salva-vidas. Os rios esturrando de cheios. Troncos enormes desciam placidamente nas águas. São Carlos tem os serviços básicos, é Distrito de Porto Velho, tem administrador, escola limpa e organizada para ensino fundamental e médio, unidade de saúde em reforma, cinco agentes comunitários. Com alegria logo vi que o Centro de Saúde foi construído por mim há vinte e três anos. Um posto de policiamento com sete soldados. E as ruas são ligadas por passarelas estreitas, compridas, como se fosse uma imensa calçada. Povo com uma fisionomia de felicidade, bem nutridos, pele e olhos brilhando sempre, sorrisos imensos, até me pareceu que todos ali vivem num paraíso. Gostei do lugar. Já o conhecia de muitos anos atrás. Mas, está inalterado, com seus costumes iguais, peixe e farinha, agora, modernizados com antenas parabólicas e comutadores com Internet.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Segurança Comunitária


A nossa guarda comunitária nasceu com esta visão de ficar a pé na rua, andando em duplas, conversando com o povo e fazendo serviços de educação da paz nas escolas. Muita coisa mudou e está mudando na cidade. A Polícia Militar agora  também está dividida nas ruas. Andando a pé, conversando com os moradores, conhecendo os mistérios de cada rua. Assim sendo, o policial ganha confiança do povo,  o morador tem o celular do seu soldado, quando precisar dele é só ligar, ele geralmente mora no mesmo quarteirão. No Rio de Janeiro eles chamaram este modelo de policiamento de unidade de policia pacificadora. é por aí. Parabéns.

UMA MANHÃ DE PROSA

Semana passada tive em Porto Velho. Há tempos que vinha caçando um professor, que rapidamente o conheci num encontro partidário e que depois sumiu. Não o vi mais. Despachei meus "investigadores" atrás dele. Porque no dia do encontro, o homem usou a palalvra e como o raio que corta o céu me iluminou completamente com suas idéias. Ele é funconário público, tem cargo de confiança, não posso falar o nome dele aqui escancaradamente, iniciais DC, talvez signifique depois de Cristo. Aí lá no restaurante do Aquarius nos perdemos nos delírios de uma conversa rica.Tudo sobre educaçao de qualidade, como fazer, como agir, com subir cada degrau. O homem é um balão de conhecimento e entusiasmo.  Meu Deus do céu como é bom  conversar com este oceano de desejos. Vamos ficar caladinhos por enquanto. Os assuntos foram UMA PEDAGOGIA FORTE NO ESTADO.  TREINAR AS COMUNIDADES PARA A GESTÃO DAS APPS (associação de pais e mestres). OS CONSELHOS ESCOLARES. A EDUCAÇÃO NO CAMPO. A EDUCAÇÃO INTEGRAL. OS SENTIDOS DE UMA JUVENTUDE SADIA.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Primeiro Emprego


Emprego - tem muito jovem sem emprego. E o maior anseio deles é o de arrumar um trabalho para ganhar algum dinheiro.  Eles ficam por aí, porque quando procurar trabalhar as empresas exigem experiência. É justamente isto que eles não têm. Precisam começar. O que nos tranqüiliza em Ariquemes é a oportunidade de cursos profissionalizantes no SENAI e agora no INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, muitas vagas.  Fora disto o jovem deve cavar alguma preparação primeiro, fazer algum curso no SENAI para poder chegar na empresa e mostrar o seu diploma. Ou mesmo ir aprendendo a profissão numa oficina, com ajudante e daí a pouco pega firmeza e se transforma num oficial de serviço respeitado. Todo mundo, desde novo, deve buscar se encaixar no mercado. No começo é assim mesmo, faz-se qualquer coisa e depois com dedicação o camarada sobe. Estava me esquecendo de dizer, leve qualquer trabalho a sério. Porque você está tendo uma chance imensa de aprender tudo na empresa do outro e mais tarde pode ter a sua igualzinha.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Explicação

Meu caro leitor, este blog (acho esta palavra horrível). Como é que eu poderia dizer, talvez,"este canto de página" que procuro colocar-me em letras para ser lido por alguns, tem por finalidade estabelecer diálogo. Eu estou me oferecedo a vocês para conversar. É só isto.  Não estou aqui querendo ser o tal, nao! Estou afim de provocar vocês com minhas idéias. Sabem por quê? Dias atrás fui escolhido pelo meu partido o PMDB como pré-candidato a Governador do Estado. E o Congresso permitiu por lei que a Internet seria livre para se conversar com cidadãos e cidadãs e por no ar o seu pensamento livre. Que bom! A Internet na política. A nova forma de se comunicar. Quem sabe, logo ela toma conta da campanha. Uma maravilha. Barata, acessível, milhares de eleitores comunicando em redes, teias, ventos e disto tudo sai o suprasumo humano com rica liderança. Já pensou fazer-se uma camapanha sem sair de casa? Só nas redes sociais - orkut, twitter, facebook e blog?  Nao precisaria vender os cabelos da cabeça para pagar dívidas de campanhas. Ainda creio que este dia chegará. Vamos conversar?

Violência contra a Mulher



A violência contra a mulher - este tema também é importante falar, porque acontece dentro das casas, e muitas mulheres sofrem  caladas por muitos anos, uma dor física e moral, e se submetem a todo tipo de tortura sem abrir o bico. A mais importante é dizer que a mulher moderna não deve apanhar. As vezes uma palavra mal dita dói mais do que  um tapa. Por exemplo, você é uma vagabunda, uma puta, uma sem vergonha, isto tudo, para quem não é nada disto machuca a alma.  Os violentos e cruéis devem ser denunciados na delegacia da mulher para que seja punido. Também com brigas constantes em casa os filhos sofrem muito. Acumulam ansiedades, medos e mais tarde  influenciará em suas condutas. Filhos de pais violentos tendem também a serem violentos com suas futuras esposas. Ninguém pode padecer em casa, sofrer e ficar calada.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Educação Sexual nas Escolas


A educação sexual nas escolas para jovens adolescentes é importantíssima. acima de dez anos de idade. o assunto deve ser abordado sem brincadeiras, chacotas, piadas. levar cartazes bem feitos, ou preferencialmente peças antômicas, tipo bonecos, que tenham forma de homem e de mulher. Ir mostrando a cada um cada peça e cada função do corpo humano.
Quando entrar no debate dos órgãos sexuais  que ficam para fora e dentro do corpo ir falando de sua maravilhosa grandeza, a função de cada um, ovário, testículo, trombas, útero. No homem bexiga, próstata, vesículas seminais, testículos.  Aprofundar no mecanismo da fecundação e da gravidez. Aí pode se esticar, provalvemente noutra aula sobre o mecanismo da gravidez e os cuidados que se deve ter. Acho uma boa idéia. Ainda mais agora em que o sexo é praticado cada vez mais novo. Os meninos de 13 a 15 anos já estão experimentando as suas primeiras relações sexuais. E a escola tem a função de orientá-los para que sejam responsáveis.