Este blog vai ser redirecionado!

Blog redirecionado em 6 segundos!
http://confuciomoura.com.br
Aguarde.

domingo, 8 de agosto de 2010

A CADEIA DO FIM DO MUNDO


Será que tem que ser assim mesmo? O homem preso, cujo objetivo é que venha refletir pelo crime cometido, receber o apoio do Estado para estudar, profissionalizar e mais tarde retornar ao seio da sociedade?

Mas, será que tem que ser assim? com celas cheias, superlotados no limite máximo do espaço, catres, masmorras, porões indignos, ofensivos aos mais banais princípios do respeito e da dignidade. Não vou aqui discutir a pena, a culpa, o erro cometido. Claro que não vou. Que são anjos ou demônios, claro que não vou discutir o mérito de tudo isto.

Mas, não posso concordar com o nosso lixo jogado debaixo do tapete. É muito fácil fazer o que está sendo feito nos presídios brasileiros. Será, gente, que não tem uma maneira diferente de se fazer a recuperação do preso. Muitos que estão nos presídios são doentes, viciados em drogas, em alcool que necessitam de tratamentos. Criminosos de todas as tendencias no mesmo lugar, na mesma cela, no mesmo ambiente.

Não concordo. Eu não quero ser governador do caos. Já falei isto. E estou repetindo. Nem governador da idade média.  Nem governador da inquisição. Nem governador da ditadura militar. Nem torturador. Nem cruel e desalmado. Não quero. Não serei.


Aí está um preso cubano. Um preso do socialismo. Um preso político. Seu crime foi o de se rebelar contra a falta de liberdade. De escrever o que queria escrever. De se indignar contra a ditatura cubana cruel. Está aí semimorto. Em greve de fome, condenando-se à morte voluntária, melhor assim do que pelo julgamento sumário e cruel.

Será que não daria para se implantar no Brasil  penitenciárias diferentes. Separando-se os presos por categorias de delitos. E algumas transformando-se em verdadeiras empresas produtivas em comidas industrializadas, de roupas, de uniformes, de carteiras para as escolas, de material esportivo para o Estado inteiro, de produtoras de sementes florestais amazôncias, em bancos de germoplalsma, em pomares.

Será que não daria para se usar a tecnologia para controlar penas alternativas com GPS, como se faz com as carretas controladas por controle remoto, até para abrir a porta traseira tem que se aguardar a matriz controlar por satélite? Será que não se pode oferecer um itinerário pré-controlado para os presos alternativos ou em liberdade condicional?

Será que não pode ser diferente? Eu acho que pode e deve. Até mesmo uma experiência de um presídio piloto terceirizado, só para se comparar com o modelo de gestão plenamente pública? Vamos forçar a cabecinha nossa de cada dia, para que a gente possa introduzir algumas células novas, quem sabe novas céluals troncos às nossas velhas céluas impensantes?

Vamos fazer isto meus queridos amigos e amigas? Vamos!

3 comentários:

Edilene Ferreira Gama disse...

Sentimos muito sua ausência por aqui, mas não vai faltar ocasião. Sei que não tem nada a ver com o post, mas quero dizer que adoro A flecha, principalmente a Lica, parabéns por escrever tão bem. Desculpe não chamá-lo de Senhor, mas entre leitor e autor forma-se um elo que não dá pra evitar. Imaginem chamar o Gabriel Garcia de Senhor? rs. Sou fã. Bj

Anônimo disse...

O problema é que grande parte de sentenciados da justiça, reincidentes em crimes dos mais diversos, dentre homicídios, latrocínio, estupro, estupro seguido de morte, tráfico de drogas e afins, são praticamente irrecuperáveis, foi feito uma entrevista pela revista veja, onde detentos foram indagados sobre o por que de voltarem a vida criminosa, matar um pai de família na frente dos seus entes dentro do seu próprio lar sagrado, o por que de estuprar e matar depois de levar os bens daquela pessoa ou família etc.
O resultado é de que eles encaram tudo numa brincadeira de polícia e ladrão, onde eles são provedores de empregos de juízes, promotores, delegados, auxiliares da justiça, agentes penitenciários e policiais, enfim, eles se intitulam como profissionais do crime e tem certeza absoluta da impunidade e não passa pela cabeça deles abandonar essa profissão, que atrai poder, status e dinheiro junto a uma parte da sociedade.
Resumindo, são doentes mentais, devem os estupradores, assim como na argentina, serem submetidos a castração química, os ladrões, a boas doses de trabalho na penitenciária e os traficantes também, pois esses sim são a célular mater do crime, fomentadno o tráfico e destruíndo lares.

Anônimo disse...

Drº confucio moura o senhor tem 99% da policia militar do seu lado, acredito que ira fazer muito por essa classe tao sofrida que o senhor mesmo conheçe, sou pm e estou a 11 anos no mesma graduaçao, espero que o senhor veja esta situaçoa dos mais antigos da corporaçao que estao sendo humilhados pelos mais modernos ísso é muito revoltoso para nòs e digo mais governados tem policiais com mais vinte anos de serviço na corporaçao tbm estao sendo humilhados por policiais novos, sao meninos mandando nos antigo............ é o fim do mundo..........boa sorte governador.