Este blog vai ser redirecionado!

Blog redirecionado em 6 segundos!
http://confuciomoura.com.br
Aguarde.

domingo, 9 de janeiro de 2011

QUALIDADE DOS SERVIÇOS

Eu fico olhando os bancos. Viajo muito e observo Banco do Brasil, Caixa, Itaú e outros, o mesmo serviço que tem em Ariquemes tem no Rio de Janeiro. A logomarca à porta, bem conhecida, a gente entra, tem ali à frente o caixa eletrônico, enfiou o cartão de crédito e logo sai o resultado.

Fico pensando: puxa vida, por que não é assim também nos serviços públicos? Por exemplo, uma escola, não poderia ser igual. No Brasil inteiro, com um padrão de qualidade, com livros, professores, uniformes, enfim, tudo. Da mesma forma a saúde, com um cartão SUS, um caixa eletrônico da saúde, e zás ali, daí a pouco a transferência da conta de Porto Velho para qualquer outra cidade e o atendimento pronto.

Por que o cidadão que nasce numa cidade pequena e pobre tem que ter uma educação precária? Se houvesse o modelo de franquia de escola padrão não seria assim. O Governo tem que pensar como o McDonald, um big mac, hamburger, batatinha e coca-cola são igualzinhos em quaisquer lugares do mundo. O Governo Federal, Estados e Municípios bem que poderiam de agora em diante pensar na qualidade dos serviços. Uma  escola estilizada com os mesmos padrões em todos os lugares. Eu vou pensar aqui no meu pedaço. Só quero que o pessoal me ajude e me acompanhe.

Fico imaginando – se um banco controla o saldo de todo mundo, porque não se pode controlar a vida de um aluno em qualquer cidade de Rondônia. Se ele freqüentou a aula ou se faltou. Se está com nota baixa ou tem idade série incompatível. Quem sabe o Governador ter à sua mesa um dispositivo que controle escola por escola do Estado?

18 comentários:

Hermerson Alvarenga disse...

Observação interessante essa sobre a qualidade da educação no Brasil! Deve-se de fato criar um modelo que seja um agente transformador da educação. Mas que modelo seria esse mesmo? Estamos no aguardo desse dispositivo, que aliás, esperamos que seja bem diferente das empresa citadas, que em alguns casos, tratam seus funcionários como laranjas, pois sugam todo o caldo, e depois jogam fora somente o bagaço, aliás, será que os professores já estão sendo tratados assim?

Triste realidade.
Mas incansavelmente, aguardaremos e contribuiremos para uma mudança significativa na educação, e proporemos medidas que ajudem a transformar, ou melhor, criaremos esses dispositivos.

Alagoano disse...

O governo quase que tem esse controle,a diferença é que isso é feito tipo q anualmente,daí quando é detectado algum tipo de problema como excesso de faltas e consequentequente evasão , já não é possível falzer muita coisa.Penso que se essa evsasão escolar por exemplo fosse acompanhada em tempo real seria interessante ,depende tmbém dos gestores , tive oportunidade de trabalhar como gestor em uma Escola da periferia de minha cidade em uma comunidade intinerante onde os problemas sociais são claramente visiveis 8 nos e em nossa escola temos a felicidde em dizer que não tivemos nenhuma evasão escolar nesses 8anos, faziamos um controle semanal do tipo cada 3 faltas consecutivas ou 10 intercaldas a fmília era notifica persistindo a incidencia de faltas as autoridades eram acionadas(cons. tutelar,promotoria juizado da infancia e juventude) .Pena que os nossos próprios amigos afim de satifazer seus apetites políticos não observa o trabalho prestado a comunidade que é o mais importante e contribui para interromper um trabalho tão bonito,tomara que os novos gestores tenham a sensibiliade de cuidar de nossos alunos com o mesmo amor e crinho.

Anônimo disse...

OLÁ COMPANHEIRO

Trabalhei no Banco do Brasil por 03 anos agora estou na Policia Civil Rondonia,
Vejo que para as coisas acontecerem do jeito que a gente imagina as ordens vem de cima para baixo, pois era assim no BB, mas aqui na Civil cada Delegacia tem sua peculiaridade a começar pelo programa de informatica com qual delegacia trabalha existem muitos bons, porem tem delegacia que ainda nao tem.
Gostaria que o governador visitasse pelo menos a metade das delegacias do Interior e olhasse como sao tratados os seus servidores e de que forma sao as estruturas fisicas dessas delegacias. Um exemplo é o caso dos delegados e escrivaes que tem que acordar a noite ou qualquer hora. Tendo que fazer flagrante e nao é pago a hora que faz a mais nas delegacias, isso é um absurdo trabalho escravo em pleno seculo 2XXI. Temos muitos problemas a resolver, mas com certeza estaremos empenhados, basta que a Administraçao faça o seu papel que com certeza o servidor fara o seu

Marta disse...

COMPARTILHO DESSE MESMO PENSAMENTO SEU... POR QUE ACEITAMOS DIFERENÇAS QUE NA VERDADE SÃO INJUSTAS? POR QUE UMA CRIANÇA NORDESTINA PEDE ESMOLA NA RUA E A MINHA FILHA TEM CASA, ALIMENTO, MORADIA, ESCOLA PARTICULAR, ETC, ETC.?

Constantino Lagoa.'. disse...

Em um comentário a alguns dias atrás falei da necessidade de termos na educação uma padronização das escolas. Está sendo assim no Acre, como falei. Escolas que não aguentam mais ficar em pé estarão de portas abertas esperando os alunos, os professores e todos os demais funcionários para o ano letivo de 2011 que está a se iniciar. A escola Major Guapindaia, onde sou lotado, tem vazamentos por todos os lados há vários anos e olha que a escola é relativamente nova. Em Brasília, o novo governo, em regime de mutirão, está fazendo uma limpeza geral em todas e depois pintará todas as escolas do DF. A padronização será um passo muito importante, principalmente se ela vier acompanhada com a uniformização e a informatização de todas as escolas; Se alguém da SEDUC precisar de alguma informação de uma escola lá em Chupinguaia, por exemplo, em vez de telefonar, basta acessar o sistema e obter esses informações, fácil e simples.
Outra coisa dentro da informatização é o ponto eletrônico que poderá ser instalado em todas as repartições públicas; imagine o quanto serão economizado com papéis. Aqui na capital assinamos uma folha de ponto, já no interior - morei em Cacoal até 2008 - temos que assinar em TRÊS folhas.

EducAção disse...

governador, estou eu aqui de novo pegando uma carona em sua reflexão e dizer que também faço essa pergunta sempre emrelação a qualidade do ensino,qualidade as construções e reformas feitas em escolas públicas,por sinal a escola Jardim das Pedras está em fase de conclusão da reforma e amplianção.ficou linda,salas amplas,piso,(ainda era de cimentada) substação e outros.Porém ainda falta muito a fazer,por ex.os baheiros dos funcionários e das alunas não foram contemplados na reforma; às vezes questiono o engenheiro da obra:por que a qualidade de serviço de outras obras,tipo o correio que ele também é responsável,parece ser mais de qualidade?Me responde que sou muito observadora e ás vezes me considera meio chata,quando faço algumas observações referente a qualidade do trabalho, porém nunca deixam de fazer as reparações necessárias quando solicitados.enfim estamos aguardando a pessoa responsável pela fiscalização entrega da obra.
Marlene

Anônimo disse...

Sim senhor, muito louvável esse seu pensamento, mas acontece que muitos dos que estão no poder não tem interesse nenhum que funcione dessa maneira. Como é que iriam ter caixa 02, ou propinas. Para funcionar dessa maneira, primeiro tem que tirar o lixo, não é assim que fazemos em casa, primeiro jogamos fora o lixo, a sujeira e depois tiramos o pó e arrumamos tudo direitinho.
Tomara que o Sr. consiga ao menos tirar parte sa sujeira, que já esta encroada.
Boa sorte. A população agradece.
Abraço.

Anônimo disse...

É Srº Governador Parabenizo o Srº por esse pensamento e espero que o srº consiga colocar boa parte de seu planejamento em pratica e fassa de nossa Rondonia cada vez melhor.

Joelma disse...

Olá, Sr. Governador,
torço muito para que consiga mudar a nossa educação. será que a valorização profissional não seria um bom começo???
Boa sorte..

Blog do Gervásio disse...

Senhor governador, peça a algum assessor seu para verificar o endereço http://www.softwarepublico.gov.br/ e lá pesquisar sobre o i-educar. Poderá ver que não é tão dificil essa tarefa, que as ferramentas já existem. O que faltou aos governantes passados foi conhecimento e vontade política.

Prof. João Neto disse...

A comparação é interessante mas creio que existe um diferencial aí. No serviço público falta ainda a valorização profissional. Uma empresa caminha sempre em uma direção previamente traçada enquanto que a administração pública desnorteia de tempos em tempos dependendo do resultado da eleição. Falta uma seqüencia para que isso possa dar certo.
Estou aqui nas Minas Gerais e vejo que está aí a diferença pois trabalho tanto na rede pública quanto na privada e esse é o grande diferencial.
Sucesso nessa sua empreitada!!

Anônimo disse...

"batatinha e coca-cola são iguais em qualquer lugar do mundo" Certamente, mas vale lembrar que que educação e saúde não são batatinhas e coca-cola, cada estado deve suprir a necessidade existente em seu estado e cada estado possui uma necessidade diferente, os problemas de educação e saúde são diferente de um estado para outro, cabe ao Governo identificar e tentar sanar os problemas.

Emilia Eliza disse...

Concordo plenamente com vossa excelência, porém essa, não é a linha de pensamento da maioria dos políticos brasileiros, fico muito feliz em saber que existem pessoas nas quais ainda poderemos confiar.

Anônimo disse...

Sr. Governador,
Um aluno quando deixa de vir para a aula (não podemos padronizar, assim como os bancos fazem com as contas de seus clientes.), porque são seres humanos que pensam, agem, tem problemas, sentimentos, enfim.
Mas, acho oportuna a preocupação de Vossa Excelência.
Gostaria até de sugerir que para discutir as soluções para os problemas da Educação V. Exª., abrisse um blog exclusivo onde pudesse expressar Vossa preocupação e observasse a resposta dos educadores para uma suposta decisão.
Os benefícios serão muitos. O principal? - Não levar esta carga sozinho.

Anônimo disse...

A conpanheira falou sobre mt trabalho na delegacia pois no meu municipio os agentes pode ate ter que levantar para ir fz fragante mas em compensação vão pra casa ao meio dia e não voltam trabalhar então um compensa o outro acho que se tiver ponto eletronico nos setores público mts funcionarios irão chiar na escola que eu trabalho professores com 8 hs diarias fazem 4 hs corrida ainda ganham 2 vale trasporte e os 200 reais de gratificação de sala de aula,enquanto os administrativos trabalham 6 hs corridas e ganham 1 vale transporte quando vem a lotação a direção com jogo de cintura colocam no papel que estão lotados em outro setor cumprindo o restante das horas, a propria direção faz horario corrido e pior que parece que ela não vai sair vai permanecer no cargo, como o Governo vai ter controle se na hora de registrar vai estar td bonitinho no papel? Gostaria que tivesse mais fiscalização e divulgação de setor que funcione para denuncia.

Emilia Eliza disse...

A grande problemática da Educação é o desempenho acadêmico dos alunos, são intermináveis reuniões para discutir onde está o problema, uns dizem são professores sem qualificação, falta de formação continuada, baixo salário, são os alunos que não querem nada, falta de uma boa gestão. E então continuamos sem uma explicação, mas o senhor disse muito bem em seu texto "Arrume a casa" é isso mesmo senhor governador precisamos arrumar a casa com urgência, começando colocar cada um em seu lugar.Orientador como orientador, supervisor como supervisor, professor como professor, ou seja, cada um na sua função e focarmos na questão da aprendizagem dos nossos alunos. Acredito que só assim poderemos conseguir a qualificação desejada na educação do nosso Estado

Fátima Bodanese disse...

Prezado Governador, o problema com o "Funcionalismo Público" em particular do Estado de Rondônia, é que os servidores acham que estão fazendo um favor basta apenas comparecer no seu local de trabalho e cumprir suas 30 aulas ou seis horas seu horário de preferencia sentado! Esta faltando aos servidores um Sindicato de Respeito que instrua seus sindicalizados de que eles tem sim responsabilidades com seu serviço, devem não apenas cumprir o horário mas atuar de forma eficiente durante seu expediente, como disse nossa Presidenta "Ser funcionário público é trabalhar para o público e atende-los com presteza e competência" afinal são eles que pagam nossos salários com seus impostos. Na verdade falta sim é Ética pessoal e profissional, 90% dos servidores fazem dos empregos no estado uma forma de rendimento mensal, onde eles comparecem não faltam para assinar o ponto, não aceitam que seja colocado Falta, se não quem não presta é o diretor da escola ou do departamento, caso são chamados a trabalhar ou a fazer melhor o seu trabalho correm ao sindicato denunciar "assédio".

Lorena Medeiros disse...

Vou responder aos seus questionamentos citando um exemplo que vale mais do que mil palavras. Invasão do morro do alemão, no RJ, por toda nossa força de segurança. Quem quer faz, não é verdade? Abraços.